Não exclusão.
Como seria refletirmos sobre essa tendência nascida do auto interesse que exclui achando que algo está resolvido?
A exclusão se tornou algo fácil, um estímulo sentimental de alívio, vitória, de mais espaço entre as pessoas. Uma distância confortável que merece ser estudado por uma ótica mais ampla. Vamos olhar a exclusão e o distanciamento que são as atitudes mais comuns no dia a dia em vários seguimentos.
Somos presas fáceis quando acessamos por mais de 5 minutos o feed de noticias da rede, onde “causos” em diversas áreas e blá, blá, blá, criam um envolvimento e não percebemos que o tempo passou, e nos distanciamos de nós, da consciência.
Quando entramos nessa linha de visão incoerente com a consciência que inclui, caímos no abismo do vazio e buscamos preencher de coisas que só enchem o espaço reservado para mais separação, auto interesse, exclusão, por incluir o que depois teremos que rejeitar. É um vício comportamental e aumentou com a IA inteligência artificial.
E se você não precisasse mais ter que pedir um tempo para se interiorizar? E se o seu saber a todo instante lhe colocasse a ver tudo sem ter que excluir para ser? Quanto auto interesse estaria lhe afastando de você?
Se ao recebermos uma informação de fora, não nos alinharmos e nem reagirmos, não ressoaríamos, não nos prenderíamos à sentimentos, que inibe o saber. Os sentimentos são utilizados por você para sair da consciência, da plenitude, da graça!
Validar tudo pelo sentimento é se emaranhar ao já existente no campo emocional e isso mantém o vício comportamental. Não criamos espaço para ver o que está acontecendo sistemicamente. Ver tudo como é, sem meu ponto de vista condicionado.
Todo esse sistema onde você está na situação requer um olhar amplificado. O auto interesse te coloca no centro do sistema e não abre espaço para que todos interajam com você ,abrindo a visão dos fenômenos que estão além das causalidades. Por isso , muitos só conseguem resolver uma questão depois de um tempo, quando enxergam todo esse sistema criado, enxergando pela consciência, sem julgamento, sem exclusão, incluindo cada possibilidade que existe e permitindo que o movimento aconteça sem o seu controle.
Observar sem reagir é uma chave, um treino intensivo e diário.
Um exercício é caminhar e observar tudo sem nomear, julgar, comparar, rejeitar, sem tempo, idade, rótulos. (É o amor que observa)
É o exercício da apreciação desinteressada.
Só observando e participando passo a passo no momento presente.
Não nos excluímos, não nos distanciamos mais do agora.
Esclarecendo a não exclusão:
A consciência não exclui, sabe como age diante dos fatos. Se você exclui alguém estará se excluindo também! Estamos conectados.
Bloquear, cortar, limar, vazar, esses termos do eu autocentrado só fazem o distanciamento aumentar. Se algo ruim aconteceu e você não consegue lidar, arrume um lugar no seu coração e inclua essa pessoa ou situação aí. Deixe que o amor crie movimento, dê espaço para isso.
A habilidade de acomodar as pessoas e situações no seu coração enquanto o caos estiver presente é um valor chamado kshanti.
Eu aprecio esse ensinamento que recebo com esse caos e solto a necessidade de ter que ser o centro disso. Eu confio no saber que há em cada um de nós em alinhamento com o saber Universal. Não há nenhuma necessidade de provar nada e nem rejeitar nada, o que fica é a pergunta que me traz maior consciência. Que lição está disponível? Que consciência está disponível?
Nos permitimos ir além do sentimento para ver um horizonte.
Percebe a energia disso? Se expande ou contrai?
Consciência expande, verdade expande.
Inclua e edifique.
Um dia com kshanti! 💖
Kátia Erbiste
Você tem percebido no dia a dia se está vivendo um jogo relacional?
O que seria isso?
Quando nos relacionamos, seja em qualquer ambiente, familiar, profissional, individualmente, o importante é perceber se estamos no jogo relacional como as peças ou observando todo o jogo de luzes e sombras que surgem.
Observando à identificação que você tem e que ressoa com a pessoa.
Numa situação a pessoa que estiver jogando com você reagirá
à um desses dois viés. Se você escolher se relacionar com a sombra e viver resistindo, o ego prevalecerá, e você terá que justificar isso com ações relativas. O ciclo então se repetirá. E para o outro aspecto também.
Utilizando tanto uma tônica luminosa ou sombria, ainda estariamos jogando.
E o que alimenta isso?
Algum nível de interesse.
Isso é um processo da mente.
A mente age por interesse.
Nesse ambiente ela pergunta: bem o que eu posso ganhar aqui?
O que pode funcionar se eu usar isso? Dois ou mais interesses estão jogando.
Há uma outra visão fora do jogo e requer um auto cuidado,(svadhyaya) auto estudo diário, que é olhar esse jogo interno e ir reconhecendo a dinâmica funcional da compensação.
Bate e rebate.
Bom e ruim.
Luz e sombra.
Dar e receber.
Porém tudo está na esfera dual, foram fundações, as identidades que são geradas pela mente para a sobrevivência junto ao medo da cercania. Um medo implantado, assim como o medo do abandono, rejeição, culpa, de parar, vergonha etc.
Essa visão vem desse reconhecimento de acolher a atual realidade e verificar o nivel de autocentramento que desencadearam as imagens distorcidas que sustentam esse centramento.
Buddha dizia que a cobiça e a aversão são as bases para viver em sofrimento.
Pare um instante e observe onde tem estado em cada ambiente.
Como tem sido para você com alguém específico onde ultimamente as sombras sobrepõem os aspectos luminosos e curativos do ser que pode ver além das camadas.
A meditação nos auxilia nessa prática de svadhyaya, nessa cura íntima afim de revelarmos cada vez mais o Ser Real livre de sofrimento, ao se desidentificar da mente.
Observar a tela mental sem reagir a nenhuma invenção mental dá ao meditador mais espaço para viver livre todas as relações, a começar pela interior. O reflexo será notado, pois quem estiver ressoando perceberá.
Você atrai o que alimenta.
Quem espera recompensa, reconhecimento, ainda não reconheceu em si, os seus reais valores.
Pergunte sempre para você, eu vivo reconhecendo ou julgando?
Eu vivo me inspirando ou me ofendendo?
É gratificante se conhecer e deixar o amor tomar conta de tudo. Os jogos são liberados , interesses de retorno também, e seguimos a vontade de alma leve e despretensiosamente.
Daí se pergunta o seguinte: Ao invés de : o que ganho com isso?
Dizemos: que presente estou sendo nessa relação em verdade comigo?
Amor e leveza! ❤
Katia Erbiste
Enquanto caminhamos nessa vida, milhares de impressões são registradas e armazenadas na mente criando a realidade de acordo com boa parte desse acervo.
Muitos seres se liberaram do (círculo). Podemos viver nele sem estarmos aprisionados. Esse círculo podemos chamar de realidade dual e polarizada por conta dos intrincados links mente/corpo.
Esses seres ativaram um viver de comunhão a partir da profunda conexão com a Fonte. Adotaram a verticalidade como diretriz para esvaziar todo o conteúdo recebido. O termo ir para “fora do círculo”, representa ir para fora do condicionamento partindo para um novo caminho onde o desconhecido se encontra em toda a parte. Tudo lá está fresco e novo!
Dentro do círculo, o conhecimento vem e depois ele precisa ser liberado. Esse liberar ocorre sem controle, sem formatações, significados, sem gerar mais identificações.
O desconhecido é o espaço no qual o seu saber aflora, o conhecido é onde o velho conteúdo perpetua.
São tantos meios de conhecer Deus, de ver Deus em ti, e em todos. Viver no círculo com a consciência de totalidade, em comunhão entendendo que tudo está dentro da ordem. E pela consciência de unidade , comungamos sem lutar contra ou a favor porque adotamos o potente exercício dhármico de oferecer as nossas ações para o bem de todos. Não importa se há uma incongruência ainda no seu mundo externo também. Tudo pertence a uma ordem e pode ser visto com a uma lente especial. Só depende de você.
Os manuscritos, livros diversos recheados de profundo conhecimento são alimentos para os buscadores. Esses conhecimentos auxiliam numa educação em todas as esferas do indivíduo. Mas por um certo tempo. Eles tem a sua importância, mas depois vem a pergunta fundamental. Afinal, quem sou eu?
Muitas experiências do lado de fora. E como seria eu ter a minha experiência direta?
No início de nossa jornada buscamos por segurança e nutrimos o desejo, para depois firmarmos um propósito, o dharma, que é a contribuição de sua monada, consequentemente o seu fractal de alma no mundo.
Muitos mestres que realizaram e viveram o quarto passo da vida , que chamamos de moksha, não estudaram muito, e quando estudaram, tiveram que soltar tudo. Nem tornaram significantes os seus títulos. Lao Tsé era calado, ao final de sua jornada foi pedido que escrevesse o Tao Te Ching. Colocou ali a sua experiencia, um legado de tamanha sabedoria.
Grandes sábios buscaram em seu íntimo o verdadeiro saber. A sabedoria mora em nós!
O conhecimento é transmitido oralmente de acordo com a tradição. E mesmo assim é como um empurrão, mas o caminhar é por conta de cada um, é seguir o seu saber, assim estamos nos referindo ao brinde que a vida interior traz com o desejo de beber da fonte pura de amor.
Prosseguir para fora do círculo requer vontade de alma, perseverança para abstrair os sentidos e acessar a esfera anímica de infinitas belezas.
Essa nova energia te convida a revelar o seu saber que não está nos fios emaranhados de sua memória cognitiva, está em sua biblioteca espiritual que só pode ser acessada com um mergulho em seu núcleo, para fora de qualquer zona de conforto, zona espacial condicionada.
A cada instante toda a graça te alveja, mas você pode estar pensando em algo, ou num tempo psicológico, ou lendo um livro, ou vendo um filme… E está tudo bem, mas ela insistirá, ela não desistirá de te arrebatar no instante em que você estiver nu, em que você escolher pular para fora do círculo, no momento em que escolher ser livre em sua totalidade! Abandonar o eu cheio de desejos, nomes, formas e títulos.
É realmente inebriante brindar com a graça, essa felicidade antes sonhada e sempre disponível!
Como sair do círculo?
Olhando para si!
Mente significa memória , o conhecido. A mente carrega o que é velho, há um acervo gigantesco sendo arrastado anos e anos. Ela é repetitiva e previsível, não cria originalmente, só a consciência expandida cria com originalidade. A consciência está sempre fresca, jovem, experimenta cada coisa criada com nova alegria.
Que deixemos de absorver e passemos a liberar.
De fora do círculo pode ser muito mais interessante a visão de você aqui, e quando você precisar voltar para dentro do círculo, voltar para a realidade, não estará mais absorvido, porque és livre e você sabe.
Crie um espaço diariamente para observar a sua respiração, seu ritmo, os movimentos dessa mente, ativando o observador, sakshi, a consciência de testemunha, presente, fresca, viva. A mente está entre você e a realidade . Ela está no meio interferindo uma visão límpida, liberta e plena de amor por toda a Criação. Vislumbres desse espaço livre e puro você pode ter experimentado em alguns momentos, e depois isso foi registrado tornando-se uma memória, uma saudade. Eis que ela, a mente, permanece intermediando tudo.
Eu adoro fazer essa prática.
Experimente por uma semana.
A cada dia reserve um período da manhã, à tarde ou à noite para se afastar de aparelhos, de qualquer distração para a mente. Respire profundamente elevando os braços, ao inspirar e abaixando os braços, ao expirar.
Esteja presente com a sua respiração, o ar tocando as narinas nesse processo de inspirar e expirar. Deixe o movimento seguir o ritmo da sua respiração. Perceba que só esse movimento te oferece mais espaço e induz a mente a soltar o controle, deixe que cada gesto seja leve e natural, se permita receber desse momento, do seu próprio corpo…
Depois ao inspirar, busque ao elevar os braços essa energia e se permita banhar-se com ela…
Faça quantas vezes estiver funcionando para você.
Depois sente-se em uma cadeira ou no chão de forma adequada para que a sua respiração flua melhor.
A coluna se possível mais ereta ou se você sente incômodo, coloque um apoio atrás.
Entrelace seus dedos, observe mais um pouco a sua respiração, seu corpo todo conectado com ela e seu campo de energia pleno, você expandindo, expandindo… Expanda a energia, fique observando seu corpo sentado ali de fora, olhe para você, depois olhe para o fluxo metal, depois apenas olhe para o que é tudo isso! Não interprete, apenas aprecie…
Esse amplo espaço que te une a tudo que é… Viva essa conexão e traga essa vibração cósmica para o seu campo físico, deixe essa vibração tocar o seu coração e só saia assim que perceber um profundo amor e uma linda comunhão acontecendo. Sorria com o coração.
Fique presente, você é ❤, alongue-se e aprecie a sua respiração consciente durante todo o dia!
Vibre essas palavras.
Celebro com a graça!
Comungo com o Todo, me permitindo receber Seus presentes!
Sou livre, sou livre!!!

Gratidão! Por

Katia Erbiste
Namastê!
Estamos hoje vivendo um momento planetário que requer uma colaboração dos seres que sempre desejaram auxiliar no desenvolvimento de uma sociedade mais harmônica.
Muitos vieram de civilizações livres de interesses egoístas, mais unificadas com a felicidade de todos, por acreditarem na malha vibracional de interconexão entre cada ser.
Aqui nessa linda Terra não é diferente, todos estamos conectados e por escolha vibramos com o que cria expansão ou destruição.
Isso tem sido como um cabo de guerra, toda essa movimentação nos separa da comunhão e criam impedimentos por meio de discursos de interesses próprios.
O senso de irmandade e de fraternidade pode dar lugar aos jogos de poder e manipulação começando num pensamento, e se espalhando na rede cognitiva.
Os modelos de algumas linhagens auxiliaram disseminando valores para que pudéssemos avançar como uma sociedade mais consciente.
Também existem muitas linhagens aqui infiltradas com interesses em aumentar a separação e vendar os olhos de seres que trazem heranças preciosas para executar.
Várias estruturas demonstram o distanciamento de muitos dessa tarefa ao validar os programas de degeneração.
Cada um pode reconhecer a sua origem e se apropriar de seus deveres no sentido de manter uma vibração harmônica e é um trabalho incessante, pois não são só as linhas de ressonância como também a grade cognitiva repleta de medo que nos desafiam, são nossos sistemas internos e negacionistas , inconscientes que reforçam as mentiras que são replicadas em looping pela força motriz de infinitos conectores espalhados no campo de cada um.
Por isso vibremos por maior consciência. Somos milhões em consciência, conectados.
As meditações coletivas tem sido uma grandiosa contribuição para o Planeta. Pode alterar o índice da ressonância Schumann, muitas coisas se alteram com uma intenção consciente e amorosa.
Nosso trabalho nos próximos anos aqui é sairmos dessa vibração de separação e fortalecermos o elo com a Ordem Cósmica que nos trouxe e mantém tudo o que existe.
Muitos não acreditam que haja uma grande ordem sustentando a Criação, as galáxias, tudo isso.
A conexão em honra a essa grande ordem existe e podemos melhorar nossas relações internas com tudo o que ainda enxergamos como algo difícil de mudar em nós, para avançarmos.
Podemos ir além do conhecido e romper a barreira do círculo (*) cultivando ações que reforçam nossos valores fundamentais de contribuição.
Somos uma Consciência de Amor e podemos vibrar nisso mais vezes.
Todas as minhas projeções onde vi seres que tentaram me abater, usei esse amor, transferi do meu coração o raio rosa, estava num tubo de luz e consegui ficar do tamanho deles pela energia. Eles receberam essa vibração e se libertaram daquela versão, eles eram fortes, atacavam muito.
Então aqui não é diferente. Caminhemos nessa consciência, que somos, com o escudo de luz e amor e não temeremos nada.
Firme-se nesse Amor que sustenta toda Ordem no Universo, e peça para exercer a sua tarefa aconteça o que acontecer, a tarefa de sua centelha, apesar da aparente diversidade.
Há muitas imagens e ideias formatadas em seu inconsciente, muitas ideias captadas do campo por você, há muito barulho.
A qualidade de sua conexão com sua matriz, sua origem, é a sua fortaleza, o seu mestre para seguires o seu caminho.
Não está do lado de fora.
Você é o mestre de si mesmo!
Cuide de escutar o silêncio em meio ao barulho.
Vamos juntos ❤
O amor transforma!
Katia Erbiste
(*) Texto: Fora do Círculo aqui no site https://katiaerbiste.com.br/fora-do-circulo/

O numerólogo Gilson Chveid Oen, realiza um trabalho como Engenheiro Dimensional, que consiste em transformar a vivência de uma pessoa através de mantras poderosos.

Para viver o novo ano de 2021 da melhor maneira possível, Gilson compartilhou alguns mantras com funcionalidades diversas. Confira:

• Para viver a virada de 2020 para 2021 e mesmo para promover uma comunhão sua com o Universo ao longo do novo ano – “Sonhei com o paraíso e acordei em 2021” e “Um Ano Perfeito 2021”
• Para ajudá-lo a entrar um fluxo de prosperidade – “Giotandi Luz Giotandi Vindin”
• Para ajudá-lo a encontrar soluções fora da caixa – “Bomgiziz Lundenanin”
• Para enriquecer com facilidade – “Muito bom é pouco”
• Para operar lucrativamente com moedas digitais – “Djancari Nomdeguzimtari”
• Para ter uma excelente eficiência e ser aprovado em todos os tipos de concurso que participar – “Lenti Veno Granzi”
• Para concretizar boas parcerias de negócios – “Com Certeza”
• Para ser livre para amar – “Era tudo que eu queria”
• Para conquistar uma relação maravilhosa – “Zombagilezem”
• Para o universo colocá-lo numa estrada muito boa – “Guber Mozazi Vonderin”
• Para ser bem sucedido numa entrevista de emprego e ser contratado – “Zol Doneri Gatondore”
• Para levá-lo a viver uma realidade repleta de prazer e muito cooperativismo evolutivo – “Bezendenuron Porebi”
• Para adquirir poder para reverter os prejuízos causados no passado – “Tunvergiz”
• Para receber do universo amor, prazer e um enorme poder para conquistar o que deseja – “Na mosca”
• Para ajudá-lo a fechar um negócio muito bom – “Resolvido”
• Para ajudar uma pessoa a emagrecer numa dieta tornando seu metabolismo mais eficiente na queima de gorduras – “Evapinleni”
• Para construir uma nova sociedade brasileira, pois o nome REAL cria uma realidade economicamente volátil, caracterizada por começos intensos seguidos mais adiante por cortes repentinos (precisa ser usado por um número grande de pessoas) – “Caramuru”
• Para fazer uma conexão de amor – “Oaxenoc Avoirojar”
• Para criar em volta de você uma bolha de proteção contra ações e interferências negativas em sua vida – “Protecti Zonbilanumiri”

Instruções para o uso dos Mantras:

Coloque o Mantra em locais que você seja obrigado a lê-lo. Por exemplo, dentro de bolsas ou agendas.

1. Todos os dias, pelo menos uma vez, pronuncie o Mantra em frente ao espelho de três a seis vezes olhando no fundo de seus olhos.
2. Todos os dias escreva o Mantra de três a seis vezes de maneira lenta e profunda apertando a ponta da caneta ou lápis no papel.
3. Todos os dias pronuncie o Mantra várias vezes, independente do exercício do espelho. Falar alto ou baixo é indiferente.

Fonte: Blog do Amaury Jr.

Expressarei através dessas linhas o sentido fundamental de uma habilidade que muitos estão começando a compreender e que sempre foi a causa eficiente de nossa existência e co-criação: o magnetismo.
Somos convidados a participar desse momento no qual a nova energia ganha espaço e ultrapassa as densas camadas ativando as mutações holográficas em nosso campo eletromagnético. Essas ativações demonstram na esfera da visão cognitiva os flashes de acordo com a escolha de cada um, ou seja, evidencia em qual frequência a pessoa estaria vibrando por consequência de suas digitalizações relacionais, deixando clara a visão dos reflexos ora agradáveis ou não se apresentando intimamente ou em outras pessoas e situações com atualizações na chamada realidade.
É exatamente uma frequência que molda as suas visões e pensamentos, e que pode mudar em milésimos de segundos. Há uma ressonância com o que já existe em seu campo tal como um espelhamento, e nessa nova energia o que você está vibrando está rapidamente sendo atualizado. Por isso esteja atendo ao que anda validando como a sua realidade. Seus padrões e hábitos também se enquadram nesse espelhamento. Talvez você reflita: “Então, tenho vontade de mudar uma coisa , mas não consigo ainda.” Você não consegue por estar ressoando com uma negação dentro disso em algum lapso temporal. Reflita e verifique o que poderá lhe dar verdadeiramente maior energia, maior alegria; continuar preso ao conceito ou experimentar uma nova possibilidade com alegria e auto cuidado?
Então, para cada dor, para cada pensamento, para cada sensação, esteja presente de que não necessita resistência, não há nenhuma necessidade também em se esforçar para mudar as coisas que se apresentam, esteja ciente de que você é a inteligência que tudo observa e é capaz de alterar a sua frequência ao confiar no plano. Confiando que você não está só. E que sim, é possível galgar essa fase de transição, assim como muitas outras que se apresentam para você numa semana. Seus comandos devem ser de alegria e pacificação, suas ondas de ressonância vibrarão e afastarão os  imprints magnéticos de limitação dando espaço as ondas de ampliação consciencial, não precisando mais sofrer para conquistar.
Há muitas portas abertas em seu inconsciente. Derivações das identificações, implantações, essas derivações ultrapassam as portas, entram no hall central e juntos planejam algo já conhecido a se repetir por ressonância. É assim que viemos sobrevivendo aqui. Existem gatilhos e estes formam um exército intencionado a viciar as células a cultivarem sentimentos e emoções que ressoam com o mesmo do mesmo, por isso o vício comportamental e impedimentos na atualização de seu propósito. Além disso  qual é o valor de continuar atrelado as agendas e contratos com os programadores? Podemos desligar esses conectores já! Muitos de nós não estamos mais vibrando diretamente nesse grau de funcionamento.
O reflexo das alterações magnéticas atualmente em nosso Sistema Solar, bem como em nosso campo eletromagnético promovem uma ruptura direta e desprogramação. Caminhamos rapidamente pelo túnel das mutações e avistamos um porvir sem que fiquemos ansiosos , pelo fato de experimentarmos a sagrada presença. Contudo, percebemos a brisa nova da certeza que amplia o espaço de visão sempre que ressoamos com as maravilhosas expressões do amor que nos assiste. Assim tendo escolhido não vibrar no medo que tenta ser a cola que gruda os seus pés impedindo esse percurso, poderás ativar  maior mobilidade de suas funções, e nem mesmo titubeará perante as vozes e atitudes dos programadores que mais uma vez insistirão em lhe fazer retornar.
Tudo que ainda há em você poderá ser sanado ou amplificado de acordo com o seu alinhamento relacional.
Sim, você pode se informar em relação aos acontecimentos da matrix, porém cuide de escolher onde vibrará, pois no próximo ano o que você cultivar esse será o seu magnetismo. E você atrairá isso para você!
Confie, ame, pacifique, você não está só ser magnético!
Se cada um iniciar o seu modo operante de desprogramação cognitiva, se relacionando com conteúdos de vibrações elevadas, teremos uma onda magnética de grande impacto no que tange impulsos magnéticos que reprogramarão vários códigos que estariam ainda ativados contra a travessia de muitos seres  para a nova morada nessa Terra.
Um amoroso abraço. Kátia Erbiste
Há uma razão para estarmos sonolentos e lentos de uns dias para cá. As alterações magnéticas que atingem o corpo a nível endócrino causando mudanças principalmente no sono, alterações de humor e de apetite estão bastante expressivas.
Muitas conexões podemos fazer mediante esses aspectos se pararmos para refletir junto ao corpo sem tornar esse diálogo reativo, culposo, nocivo, apenas acolhendo tal movimento e reatando o laço de afinidade e inteligência já existentes para enfim fazer juz ao processo de ascenção.
Todos os sintomas apuram, liberam e tornam o indivíduo mais conectado com a nova energia.
Eu venho me percebendo descolando do corpo, é como se tivesse um eco quando falo. Algo está sendo alterado, também é como se estivesse saindo de uma dimensão para outra, me desdobrando em fragmentos.
Entre bocejos e tonturas podemos refletir sobre a nossa habilidade de soltarmos os pesos e nós que ainda nos aprisionam nessa dimensionalidade.
Apesar de continuarmos existindo no contexto relacional e de identidade, percebemos que há um anelo fractal fora do campo tridimensional que nos convida a exercer a conexão e migrarmos para espaços mais amplos de consciência, reativando habilidades extrafisicas já conhecidas por nós.
Estamos iniciando uma jornada criativa onde ao invés de criarmos entropia, estaremos criando um fractal de informações generativas trazendo à tona um viver sem medo e demais impeditivos fadados à findar àquele que não resiste a se abrir à novos horizontes.
Perceba o que está se movendo em você e dance com isso, não resista, não se preocupe, tudo faz parte do processo de verticalização.
A vibração se acelera para ultrapassarmos a rede neural e acessarmos o nivel liberto do tempo, inclusive te desconectando da mente emocional. Muitos estão relembrando cenas expressivas e traumáticas para então soltarem esse fluxo.
Saibam que são diretrizes necessárias para depois experimentarem um livre acesso ao ponto mais virtuoso de sua existência, livre de impressões passadas, onde emerge o tesouro do amor incondicional por ti e por todos e onde nenhum elo poderá aprisioná-lo.
Que saibamos perceber e lidar com esses processos e assim caminharmos na rota ascendente da quinta dimensão.
Com amor e gratidão
Kátia Erbiste
Enquanto vivemos nesse movimento de transição, com a alteração biológica, física,energética, magnética envolvendo o corpo, apenas observando, sem travar uma batalha contra essa graduação necessária, podemos acessar períodos fora do tempo.
Vivemos agarrados ao tempo psicológico, agarrados ao controle previsível que criou muita tensão. O tempo nos gruda numa faixa temporal onde só conseguimos ver o que é limitado, previsível, cognoscivel.
Rejeitamos, quando presos ao tempo, olhar para além do véu onde os mistérios do Universo dançam e se revelam para aqueles que preferem saltar corajosamente dos anelos do tempo.
Ultrapassamos as fronteiras e nos lançamos ao mundo que não tem fim. Acessamos os espelhos fora do tempo daqui e reconhecemos nossa verdadeira identidade. O DNA completa a sua ativação e avançamos com os corpos num movimento escalar veloz e frutífero.
Nos libertarmos do tempo cronológico, cognitivo ao saltar o abismo da separatividade, do controle unilateral que foram as margens mais conhecidas por nós.
Agora avançamos com um salto rumo a novas possibilidades. Onde o movimento se faz em coletividade, na ressonância de almas libertas.
O novo humano está sendo chamado à se reencontrar com suas habilidades além do tempo.
Ele é capaz de viver fora de uma realidade programada, andando em sua faixa atemporal. Onde poderá contribuir ainda mais aqui.
Você está percebendo isso?
💙💙💙
Gratidão
Kátia Erbiste

Há uma bela contribuição a ser ofertada por você.

A sua energia!

As palavras vem depois, primeiro é a sua energia, depois a sua presença.

A Energia vem primeiro, ela expressa muito mais sobre você, seu campo vibracional é moldado pelo que paira em seu mental emocional, em seu mundo interior.
Inicialmente, o ideal é cuidar de conhecer o amor em você. Se há na atualidade um pedido a fazer para o Universo, na minha opinião é o despertar desse amor, esse carinho e ternura em você e com você.

Olhar com carinho para todo o cenário mental emocional e se amar por completo penetrando as suas células com essa intenção.
Num momento onde somos fisgados pelo fígado com tantos alardes noticiados e demais efeitos mentais distorcidos, a ordem poderia ser alinhar a coluna e acalmar o coração.

“Tudo é uma questão de manter, a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo”, trecho da música de Walter Franco
O sistema está preso no tempo, seu amor não, reflita sobre isso.

Quando você se doa e nutre amor, você não é ressonante com o que está preso ao tempo linear, que cria computação com o que vinha fisgando o seu fígado.
Toda a toxina que o seu corpo armazena vem de um estímulo inicialmente pelo emocional.

Há muita toxina sendo vendida e outras ofertadas gratuitamente, também há muita toxidade na psicosfera. Vejo que temos uma grande oportunidade agora, de voltarmos ao terreno fértil do coração, se abençoar e abençoar cada coisa que estiver vibrando em seu campo, pois são reflexos de sua criação.

Na intimidade permitimos o florescescimento desse jardim e a liberação desse perfume. Quando você cultiva mais esse amor, não terá que fazer muitos movimentos com certo esforço e sim, permitirá que a sincronicidade se apresente e caminhará sem o interesse de ser notado, sem a necessidade de ser amado, o ser amor é que ama e isso está sendo emanado. Você é essa energia!

De uma maneira sutil esse perfume chega.

Você é uma vibração. Você emana o seu mundo interior. E salte quando o coração vibrar.

As projeções mentais atrapalham esse canal puro de conexão.

Para entrar em seu jardim, em seu santuário você terá que se desprender da realidade que criou e se dissolver, despindo-se de qualquer identificação.
O som sem som do centro do ❤ sinaliza o caminho.

Meditemos.

De coração para coração ❤
Kátia Erbiste

Uma das habilidades que possuimos e que foi “liquefeita” com o excesso de distrações foi a prática de dristi.
O foco é uma das virtudes que temos para auxiliar na criação de algo, até para acalmar a mente, para meditar.
Criar algo demanda energia e tempo. Com a onda de multitarefas, diversos ícones flutuam em nossa tela mental inibindo o foco em algo realmente criativo.
Quando você escolhe olhar para uma coisa, o seu cérebro coloca as outras coisas em segundo plano, é como uma lente especial, que foca o objeto e distorce o que está ao redor.
Viemos usando um olhar múltiplo, forçando o mecanismo que poderia auxiliar no foco mental para a meditação, para uma visão ampla dentro de uma questão.
Visão ampla, visão restrita, não se trata de apenas uma visão sensorial, tem maior ligação com um foco e na maioria dos casos ampla visão do fato com profunda atenção.
Uma coisa é receber uma notícia e transitar num terreno nebuloso que molda o cenário múltiplo de informações em sua mente, o que torna tudo mais complexo e dificulta a visão do que realmente é. Os filtros que utilizamos dificultam a clareza do que é.
Esses filtros chamamos de vrittis, são oscilações mentais que ilustram um objeto dando um toque ilusório à sua matriz.
Por exemplo: você vê uma casa, gosta dela, imprime essa imagem em sua mente, você pára para olhar com a mente a casa, começam as especulações, a casa muda de cor, de jardim, pode ficar maior ou menor, pode criar um desejo , uma cobiça de ter mais do que ela já pode lhe dar, e aí pode criar até uma frustração por causa dos desejos que estão além das suas posses.
Você olhou a casa ou as múltiplas formas? E quem foi alimentado com essa distorção? Seu ego.
Outra coisa é olhar com atenção uma coisa, sem invenções.
Conta-se no épico Mahabharata, que Drona, o arqueiro estava ensinando a Arjuna e seus primos, Drona parou em frente à uma árvore belíssima e pediu aos rapazes para olhar para um dos galhos, ele apontou o galho e nele havia um pássaro. Era um exercício de foco.
Ele apenas queria saber quem estava realmente exercitando dristi.
Perguntou o que eles estavam vendo.
Um disse que via muitas folhas, o galho, o pássaro, outro disse que o contraste do céu com a árvore era belo, que as folhas eram grandes… e quando ele perguntou a Arjuna o que ele via. Ele disse “só vejo o pássaro”
Esse deve ser o seu dristi.
Apesar do piloto automático, das múltiplas imagens e funções cerebrais de segundo plano, existe um foco que deve ser sempre ativado, e isso não lhe toma a função de também ter reflexos, para dirigir ou fazer algo que exija uma visão periférica.
O foco pode estar na sua respiração, num mantra, numa intenção positiva… em algo que te mantém numa vibração alta.
Os mestres sempre disseram para pensar em Deus, deixar o seu foco aí.
Olhe para você, Deus em você, é o dristi, é o foco. Quando dizemos, buscai primeiro Deus e sua verdade, buscai em você e tudo lhe será dado, você é o dristi. Os vrittis continuarão passando e testando você.
“Quando você foca em algo, você coloca toda a energia nisso.”
Essa computação múltipla e cheia de distrações na qual estivemos emaranhados, contribui com a entropia, fenômeno que diminui a nossa potência, energia e cria degeneração.
Qualquer atividade com mais atenção aliando a vontade te dará mais vigor, tudo o que fizer aplicando dristi ao que te eleva, te dará mais energia e conexão com a sua verticalidade, com a sua verdadeira natureza de liberdade.
Inicie focando na sua respiração. Só isso. Sua atenção plena retorna e em poucos dias você estará percebendo sincronicidade com tudo o que acontece, de acordo com o que estiver nutrindo vibracionalmente.
Bora praticar?
Gratidão! Namaste!
Katia Erbiste