Quando você está participando da criação, no espaço de observar, você está apreciando.
Uma das coisas mais lindas em qualquer relacionamento é viver na apreciação.
Aprecie a si mesmo, inicie a observação da inspiração e expiração, do toque delicado das mãos em seu corpo. Aprecie com cada sentido sensorial, a dinâmica inteligente do corpo lhe mostrando a maravilhosa vida em você. Depois aprecie as capacidades que você traz, as nobres inspirações …
Aprecie a vida em seu entorno. Veja o reflexo das suas apreciações.
A vida é um ambiente magnífico. Você está apreciando, observando ou está fora, sendo levado pelas circunstâncias por se fixar nas identificações?
Apreciar não te joga na identificação. É apenas uma experiência que passa por você, como um véu de seda, e você permite que uma nova experiência surja.
.
Liberte-se apreciando sem rotular.
Namaste Kátia Erbiste
Os sintomas são sinais precisos do corpo causal, bem sabemos, mas também a sua consciência faz manifestar através dele sintomas advindos de registros pós traumáticos para você reconhecer isso enquanto causa, e ao reconhecer, agir em prol de uma cura eficiente, prevenindo assim, uma densa ativação culminando em patologias irreversíveis.
Ao longo de nossa vida acumulamos registros e fixamos cada um deles em nossa linha temporal, as nossas células registraram os efeitos traumáticos e passaram a funcionar guiados por esses sentimentos. Criamos portanto, células de raiva, medo, culpa, vingança, tristeza, vergonha. A mente gravou as formas pensamentos e criaram-se esses registros dando ao seu corpo o movimento repetitivo de reação e por sua vez, acidificou o organismo mantendo essas células predominantes e proliferando o dano que pode vir a ser o criador de dores físicas, tecidos, rigidez física e mental, criando entropia, mantendo toxinas em órgãos vitais.
Esse esclarecimento vem com mais intensidade quando olhamos para o corpo como esse mensageiro, olhamos com amorosidade, honra, respeito e travamos um diálogo consciente com perguntas simples e assertivas.
?
Corpo, que consciência está disponível para que possamos melhorar ainda mais? Como posso mudar isso?
O que posso reconhecer sobre esse sintoma?
O que podemos criar juntos pela consciência?
Corpo eu agendei isso?
Quanta inconsciência e anticonsciência eu escolhi para criar isso corpo?
Como seria se eu enxergasse de frente a causa e sentimento correspondente a esse sintoma?
Que consciência você deseja me dar corpo com esse sintoma?
Isso pertence a mim, a algo, ou a alguém?
Pergunte ao seu corpo sempre o que vem à tona. Evite reagir, lutando, julgando, rejeitando, fingindo que não está acontecendo. Pare de mentir para VOCÊ!
Ele é seu amigo mensageiro.
É hora de deixar o Sol que entrou com força agora na era de aquário iluminar todos os cantos sombrios, resgatando e ampliando a consciência que faz alterar toda a microbiota, alterando também a vibração com uma escolha sincera e amorosa, pela escuta atenta ao mensageiro.
Temos a tendência em culpar o sistema, as pessoas e circunstâncias, nos acostumamos a dar rótulos para qualquer coisa que aparece na periferia mental. E como não perguntamos, nesse nível a informação é definida e reconfigurada do mesmo modo voltando a criar mais rigidez dando ao corpo a informação de negação à mobilização e liberação disso. Por outro lado, se isso fosse aceito e reconhecido, daria ao seu sistema uma nova função celular, com um reconhecimento e vontade consciente.
Se a pessoa preferir ficar no piloto automático, repetindo o padrão, voltando a memorizar o mesmo registro, fato é que isso poderá chegar a uma patologia adiante afim de que possa reconhecer o dano que causou a si mesmo.
Eu guardei ao longo da vida um sentimento de indignação e raiva, vivi algumas coisas que se repetiam. Eu parei e me dei conta de que isso deveria ser visto com mais carinho.
Só que percebi que eu não digeri bem os acontecimentos vividos, “eu achei” que tivesse digerido, e isso voltou em forma de fortes enjoos, dores de cabeça, palpitação, sintomas de fígado.
Em virtude desses registros de raiva e indignação me coloquei a perguntar e soltei as perguntas. Estava intencionada a me amar profundamente.
Pouco tempo depois fui rejeitando o café ☕ que era ingerido de manhã e a tarde, além de intuir sobre uma limpeza hepática. Um mentor espiritual desde 2007 me pedia para parar o café. Hoje captei mais fortemente a razão disso.
Respeitei a voz da consciência amorosa que pedia por uma intervenção se eu quisesse me curar desses sintomas oriundos de raiva reprimida.
Aceitei e logo um amigo me falou que fazia essa limpeza há meses e que foi a melhor coisa que lhe aconteceu. Fui estudar a respeito, fiz perguntas ao meu amado corpo, escutei e o percebi expandindo com essa informação “vibração ” as moléculas se mobilizaram e eu aceitei fazer.
Estou na minha terceira limpeza hepática. Meu corpo e mente estão mais limpos, liberei junto com as toxinas os sentimentos distorcidos e obsessivos e posso dizer que está sendo uma cura profunda e também preventiva para mim.
Faltam mais 3 limpezas para fechar a limpeza anual. São 6 por ano e faço uma vez por mês. Só posso dizer que é um bálsamo, desintoxica e amplia a visão.
Cuidemos de escutar a consciência também através dos sintomas.
Muito foi implantado e solidificado por nós. Seu corpo é seu amigo. Não brigue com ele.
A natureza é harmônica. Está na hora de ampliar a vibração e escolher sempre o que ampliará a consciência.
– Uma alimentação edificante;
– O que você cria como onda acústica com uma forma mental;
– Observe o que você introgeta na mente e seu corpo responde ao gatilho;
– E se como você está vivendo tem um tom leve ou pesado;
Tudo está disponível para a sua ascenção, tudo é contribuição.
A tensão é uma forma eficiente que o corpo e consciência tem de fazer você olhar de que lado da força você está.
Você e seu corpo estão vivendo uma vida leve ou pesada?
E se você agora pudesse soltar a energia densa para a Terra? Movimentemos a energia, você escolhe soltar ou represar as energias?
O que é mais leve?
Gratidão por ler até aqui. Curamos o corpo, curamos o Planeta.
Abrimos mais espaço e consciência, escolhemos nos ver verdadeiramente.
Nos enxergando mais profundamente, nos amamos incondicionalmente.
A bondade que escolhemos ver no Planeta revelamos primeiro em nós.
Ame-se e ame.
Amor e paz.
Kátia Erbiste.
O corpo é nosso melhor amigo.
Está sempre oferecendo uma consciência na forma de sintoma, seja agradável ou não.
A proposta, no entanto é sempre perguntar ao corpo o que ele está trazendo com esse sintoma como consciência e que consciência você poderia acessar com isso que você não havia se dado conta esse tempo todo?
Ao fazer uma pergunta libere a necessidade de retorno.
Quando você permite que tudo seja como é, algo mágico surge e se revela para você.
Você sabia que muitos desses sintomas podem ser de outros? Você apenas se engajou com uma certa vibração e trancou isso em seu corpo.
Quando você resiste, indo para a conclusão, navegando nos sentimentos, você amplia e solidifica o que aparece ao dar um significado, identificação para isso.
Diga SIM para qualquer sintoma, no sentido de aceitar essa possibilidade de cura. Não resista. Observe. Você não é o sintoma. Você observa e amplia o seu campo de visão para que se revele o que é. Como é e não como (deveria) ser.
Permita que a consciência observe e interaja magneticamente com outras consciências. Nesse nível sempre existiu um diálogo. As perguntas ativam as moléculas, o engajamento com elas acontece e há um contato mais claro com a informação.
Perguntas empoderam você a saber e ativa a energia que mobiliza as partículas que sustentam coisas em seu campo.
Você faz a mágica acontecer estando presente e permissível.
Assim que o corpo te mostrar a chave, te inspirando com o que você poderia fazer, seja comer, mover, alterar, siga essa energia, ele é o seu aliado no processo de transição para níveis mais sutis.
Há muito o que falar sobre isso.
Vou escrevendo aqui.
Bom dia com amor
Por Kátia Erbiste
Onde você está?
Você já percebeu as oscilações vibracionais em seu dia?
Essas oscilações tem total ligação com o que você nutre mentalmente. A informação que você emana faz com que as partículas se mobilizem e criem o ambiente relacionado para vibrar com essa identificação.
Você está dentro de uma linha temporal. Você pode mudar de linha do tempo ao perceber onde está e quem está sendo nela.
Ao escolher outra coisa , você vibra diferente e muda de faixa.
Estamos nos relacionando com muitas ao longo do dia. Tudo depende de uma escolha.
Acessamos as consciências afins ao que se propõe, eis que muitos se encontram confusos e sem criatividade, percebem uma multidão falando em sua mente, cria-se um emaranhamento com muitas identificações.
Por isso, cuide de sintonizar o seu rádio mental através de intenções positivas e evolutivas. Como disse o mestre Paramahansa Yogananda, “Pense em Deus…”
“Deus ama o silêncio”
Intencione, como você perceber essa dimensão de amor em ti.
Esse amor está em ti…
Desejo uma chuva cristalina de amor inundando você hoje!
Que você perceba, saiba, e crie uma realidade leve e expansiva com base nesse Amor.
Somos uma bola de amor, conecte-se a isso, a mente condicionada cria o sofrimento, sempre te posiciona numa faixa de controle e tensões, no alto e no baixo, no certo ou no errado.
Frequências AM.
Eleve a sua intenção, olhe do alto da situação e saiba a hora de mudar, escolha outra coisa, pense em Deus , frequência FM.
Peça por consciência, clareza!
Que você ative o propósito de sua centelha divina, haja o que houver. Siga essa direção!
Amor e luz à todos nós!
Kátia Erbiste
Esses dias estou a observar um movimento atípico, pessoalmente falando mas também amplificando a observação, há uma onda magnética e densa que tenta influenciar a cada um de nós.
Hoje fui orientada a meditar dentro de uma pirâmide magnética. Me veio a imagem dessa pirâmide e me fez muito bem. Outra forma de praticar poderia ser dentro de uma caixa orgonica, essa foi a orientação. Como não tenho a caixa, escolhi o holograma da pirâmide.
Tenho notado oscilações da energia e estou mais retirada essa semana observando os processos dentro e fora.
Tudo está em fluxo, vocês percebem as oscilações?
Como vocês estão trabalhando isso?
Vigília, observação, estado meditativo, não escutando os pensamentos repetitivos?
Estão treinando a habilidade de observar sem se levar pelo movimento que entorpece, confunde, esgota e molda ações no dia a dia que não rendem?
Onde estaríamos nos posicionando nesse atual cenário terreno?
Você escolhe estar no palco onde as cenas expressam o registro neural e coletivo com base nas escolhas de hábitos recorrentes da maioria, absorvendo os registros de medo, violência, apegos e dor?
Ou você escolhe fortalecer o músculo da intuição para romper com as ilusões mentais e perscrutar sob um vale nebuloso da confusão extrovertida dessa realidade dual? Mergulhando mais fundo em direção a sua câmara de paz?
Como seria ir além da faixa de pressão e densidade na qual estamos submetidos?
Eu digo isso porque é essa a mensagem que venho recebendo. Que só poderemos fluir nessa Terra se cuidarmos de trabalhar a conexão agora!
Nós sabemos em essência que podemos verticalizar.
Basta iniciar, com um passo de cada vez, firmes no voto sincero e honrado de nossa centelha!
A mente poderá criar subterfúgios, mas sejamos firmes.
Se houver uma luta, que seja a luta com os seus próprios inimigos interiores que se alinham com as influências exteriores.
Avante amigos.
Somos luz!
“Eu sou Luz, ultrapasso as trincheiras da manipulação cognitiva e reivindico a minha herança divina.
Não desisto, vou em frente, esticando meu arco “coluna” e meditando, oferecendo ao fogo da transformação, à luz do saber, os sentimentos, os desejos , carências e ilusões …”
Com amor, Kátia Erbiste
Quando fechamos os olhos para meditar, abrimos a porta que conduz ao “painel de controle”, de onde podemos observar os pensamentos e sentimentos existentes no campo mental. Onde observamos os impulsos instintivos do inconsciente.
Essa atividade desenvolve Sakshi, (a consciência de testemunha). Desse ponto ampliamos a consciência e assim ganhamos mais energia para transcender às adversidades que se apresentam no dia a dia, pelo fato de não mais nos identificarmos a ponto de nos tornamos o objeto visto.
Nos tratados yogues, os sábios (rishis) se referem a Sakshi como a prática que nos leva à Dharana que é a concentração, mas uma concentração onde a mente ficará num objeto por pelo menos 2 minutos sem sair para outro foco , outro pensamento.
Esse feito requer uma prática diária com o foco na respiração durante todo o seu dia, em todas as ações. É muito bom quando nos colocamos a praticar o (anapana) observação atenta do toque da respiração.
Perceba o ar entrando e saindo , esse toque suave nas narinas e seu ritmo, as suas pausas ao inspirar e expirar.
Como é maravilhoso esse cuidado conosco. Você pode começar já. Traga a sua mente para o foco na respiração e observe as suas artimanhas. Observe, pois você é aquele que vê, você não é o que é visto.
Namaste Kátia Erbiste
(Abháyada)

Por Kátia Erbiste.

Na vida existem quatro etapas ou passos para se chegar a libertação.

O ensinamento de Vedanta trata dessas quatro etapas que auxiliam no conhecimento e liberação de todas as formas, as imagens e condicionamentos mentais que atualizamos na tentativa de entender o mundo. A linguagem aqui nesse texto será em sua maioria, na primeira pessoa do singular pois é assim que estudamos, olhando diretamente para o espelho,  para ver todas as projeções que colecionamos.

Há uma necessidade básica na vida de todos, a sobrevivência, é a busca pela sobrevivência, que quando visto como um mecanismo de controle,  recai numa sociedade tramada no medo e nos embates para se obter um resultado que culmina em sofrimento, até para manter esse resultado.

Um ser liberto é um ser magnético, apaixonante, criativo e próspero.  Algo precisa ser integrado, o conhecimento do que o aspecto feminino e masculino no ser criam.

Nos quatro passos, ambos estão envolvidos, em artha estamos buscando segurança, a mente está condicionada no sistema de sobrevivência, em segurança, querendo se fixar no controle, e quando acumulamos informações passadas, tornamos sólidas as barreiras que são determinantes num momento de escolha. Quanto maiores e maciças forem as minhas barreiras, cairei no mesmo ponto, no mesmo passo repetidas vezes ao viver na mente e não ser realmente livre. As recorrências acontecem por um modo programado da mente, onde eu reajo exatamente igual às projeções e imagens que crio de cada pessoa com a qual me relaciono por não ter incorporado verdadeiramente o aspecto feminino e masculino em mim, no sentido de acolher (fem) e conquistar (mas), inspirar e expirar, emocionar, agir respectivamente (fem. e masc.).

Uma das razões pelas quais eu acabo por não estar consciente das situações e reproduzo padrões é não estar disponível para me conhecer por inteiro. Os meus olhos se abrem e eu projeto na vida as imagens que construí, quando eu fecho os olhos, eu produzo um espaço para me perceber, para olhar meus pensamentos, observando desinteressadamente todos eles. Um entra e outro sai.

Essa dinâmica nos acompanha o tempo inteiro. É por isso que incentivo você ir para o segundo passo e abrir os seus sentidos, pois são os sentidos que auxiliam no descobrimento do corpo, do seu sentir, dos desejos, da movimentação da energia em seu corpo, da percepção dos reajustes diários e que orientam à nível das emoções para então sublimar densas camadas que culminam em dores e patologias, e onde se trabalha junto aos elementos que vão lhe entregar uma maior conexão com o momento presente, removendo aos poucos o vício em penetrar a mente pensante e se tornar o personagem do pensamento. O corpo traz informações para você ficar total, consciente e dissolver as imagens que antecederam esses bloqueios.

Em Kama, segundo passo, eu saio do espaço de buscar segurança, para o espaço de ter prazer. Eu posso exercitar a meditação ou a respiração consciente, o toque, a percepção dos 5 sentidos em meu próprio corpo para estar consciente, para sair da mente, do jogo mental, onde posso dizer: “eu me sinto, eu me percebo. ”

Quando olho para fora, o meu aspecto masculino está ativo, me jogando à ação, e quando olho para dentro entro no meu espaço feminino onde me acolho. Quando inspiro expando e me recebo, quando expiro me lanço e ajo. Quando me percebo inteiro eu posso dar prazer, quando eu recebo de mim eu posso dar e isso é uma explosão de prazer.

Buscamos em artha uma segurança tão grande que não conseguimos nos relacionar com liberdade. O que ocorre é a projeção da imagem que eu faço no outro e dentro disso questiono para que seja seguro para mim, ao invés de eu me conhecer por inteiro, feminino e masculino integrados para então criar um espaço seguro para receber o outro e não buscar receber do outro, quando entro em qualquer relação para receber, eu me torno um problema, um peso que voltará para eu mesmo. Estamos tentando receber do outro de acordo com as nossas projeções, portanto nesse aspecto reconhecemos que estamos em artha.

O medo de se lançar ao amor, o medo de dar um passo na carreira para algo novo e desconhecido, tudo isso faz parte desse passo inicial. Na carreira eu busco saber: O que vou ganhar com isso? Porque preciso de alguma segurança. Quem governa essa etapa? A mente, o ego.

Ao invés de ir para o espaço do dharma que é quando eu me conhecendo inteiro posso oferecer o meu melhor aqui e com bastante contentamento, pois eu integrei as energias e me tornei  magnético, eu sou apaixonante, tudo é um reflexo porque estou integrado.

Se você se integra, você não teme nenhum passo. A vulnerabilidade é um nutriente fundamental no seu movimento de vida. Você está a um passo de ser totalmente livre em moksha. É dito que se você honrar e cuidar do dharma, este honrará e cuidará de você. É uma via de mão dupla. Você escolhe ter uma vida dhármica ou adhármica?

Acompanhe minhas contribuições no grupo Criando expansão no Facebook

https://www.facebook.com/groups/2407866479513120

 

 

Olá querido Ser.

Há muitos presentes que podemos receber ao nos conectarmos com a nossa matriz, acolhendo O Agora como a única expressão real e sagrada, onde a vida acontece em sua magnitude. Esse recebimento é o que contribui para o desenvolvimento de nosso propósito divino nesse lindo Planeta.

Desde 2007 venho me percebendo mais conectada com esse propósito. Apesar de ter escolhido desde muito pequena seguir o chamado do coração, essa diretriz amorosa se tornou mais evidente desde esse período e assim pude ingressar nas práticas integrativas, conhecendo diversas áreas que juntas decoram a guirlanda perfumada de ferramentas evolutivas através das quais escolhi oferecer o toque dessas fragrâncias em cada um que eu reencontrasse.

De fato nossa jornada é uma dádiva divina. Quando percebemos o chamado da alma, ativamos a nossa biblioteca espiritual e assim acessamos um espaço mais dinâmico e ao mesmo tempo leve de informações afins, oriundas da fonte conectada aos muitos fractais que assim como eu e você escolhemos desempenhar os nossos papéis aqui. Nossa família estelar está crescendo. Estamos nos permitindo acessar aqueles que estão em nosso caminho de ascenção.

Quando escolhemos uma função, uma tarefa que expande e alegra todo o conjunto multidimensional, percebemos a facilidade com a qual desempenhamos esse papel, sem o esforço ou a luta para se alcançar alguma colaboração a mais capaz de expandir essa escolha. Também saberemos quando não é ressonante alguma direção e sairemos com maior facilidade, aceitando as mudanças de rota. Se estivermos em harmonia com a fonte as rotas mudarão naturalmente, o desprendimento e dissolução de sistemas afins do passado acontece. Quando escolhemos o caminho do Saber Cósmico permitimos que  tudo flua em sincronicidade, reverenciamos o Agora e recebemos, pois escolhemos a liberdade do “Ser”, do que o encarceramento do ego pelo “Ter.”

Aprendi que atrapalhamos esse recebimento com os nossos filtros e projeções mentais individualistas e autocentrados, atrapalhamos também a transmissão direta da fonte criadora, ao darmos ênfase às condições  e pontos de visão incoerentes com o translúcido e refletivo Amor Divino.

Aprendi que o ego não deve ser eliminado, e sim a ignorância que nutrimos como os óculos coloridos que nos mostra apenas as faces limitantes frente a um universo de possibilidades.

Uma vez que reconhecemos onde nos colocamos em luta e iniciamos o caminho de desprendimento desse condicionamento atrelado aos apegos  transitórios, saberemos alterar através de nossos sentidos e percepções físicas e anímicas o fluxo magnético que todo esse sistema de controle criado, trancou em cadeias nos corpos.

Quando ultrapassamos essa camada densa de linearidades e previsibilidades lincadas ao plano mental cognitivo, removeremos os óculos coloridos e poderemos visualizar a matriz com todos os maravilhosos acervos disponíveis para o deleite íntimo e possivelmente coletivo.

A conversa mental cessa no momento em que você percebe quão sagrada é a sua respiração, o fluxo livre em sua coluna em energia , em seus pulmões abrindo mais os horizontes das múltiplas informações celulares que dançam milagrosamente para dar ao corpo uma harmoniosa vitalidade. O Pranayama é o portal para uma visão ampla da consciência. Sabemos que está intimamente ligado ao sistema nervoso central e isso altera os impulsos eletromagnéticos que geram todo o movimento de atração e atualização nessa realidade, o que você atrai ou afasta. Podemos falar disso mais adiante em outro texto.

Há algumas semanas tive uma visão e iniciei uns estudos relacionados à linhagem Pleiadiana, pois já possuo contato com essa linhagem e também outras consciências amorosas há muito tempo. Desde os meus 5 anos mantenho contato, recebendo avisos importantes não só para mim, mas de forma geral.

Quero dizer que todos nós somos catalizadores de energias, somos como rádios conectados, podemos afinar esse instrumento mental com diversas práticas que hoje se encontram disponíveis aqui no Planeta, basta estarmos atent@s para acessar o chamado. Esse acesso requer presença e entrega amorosa.

Você confia e por conta disso entrega e aceita verdadeiramente todos os frutos das suas ações? Se eu não oferecer nenhuma resistência ao fruto sou livre e posso apenas estar presente e receptiv@ para o que mais o Universo poderá me oferecer em contribuição. A pergunta é: O que mais está disponível? E… solto isso também… o que mais vier não posso controlar.

Assim é viver o sagrado agora, permissível ao fruto, e a cada instante ao nos conectarmos com a respiração, com os sentidos, escolhermos ler a consciência que o corpo está nos dando para então virar a chave e sair das recorrências, ou da zona cristalizada , passando para a zona livre de formatações e solidificações também a nível físico, do acesso pela matriz amorosa e edificante.

Você vai observar que o seu gosto pela alimentação mudará, e por diversas outras coisas. Ainda que os desejos  e as ações e reações percorram a linha da sua vida, você poderá acessar a zona dhármica que representa trilhar passo a passo o seu propósito, dando luz ao seu saber ancestral, honrando cada gesto da existência como a ressonância de suas escolhas.

Então o chamado é perceber onde você está e se a sua vida está sendo vivida com muito esforço e muitos desejos e projeções ainda? Ou se você já iniciou a liberação dessas muralhas para apreciar a leveza de um presente iluminado e nada previsível? Esteja presente para ver o que sempre esteve em você! E isso não tem nehuma forma, é tudo energia , vibração, é todo o amor, toda a graça que você é. Que Somos! Reconhecer essa essência e viver dessa fonte é o que todas as consciências amorosas escolhem viver, as que estão em outros mundos e as que estão aqui também. Somos isso e podemos acessar fora da identificação mental, simplesmente nenhuma ação que teremos que fazer, nenhum esforço. Ser não requer esforço, ser é acessar o saber cósmico, reverenciar essa verdade em todos os seres é o que muitos escolhem.

Estou à disposição para agendar os atendimentos e também lhe oferecer os cursos dentro dessa linha de trabalho. Recebo, aceito, celebro, agradeço e ofereço.

Para saber sobre a Tameana, o grupo para maiores informações sobre esse movimento amoroso de conexão é https://t.me/Tameanacursos

Texto Kátia Erbiste – Abháyada
Namastê!
Gratidão!

 

Olá, esse é um estudo que fiz  sobre Chakras.

Chakras ou rodas (em sânscrito) são canais de captação da Energia Prânica que imanta nossos corpos. Os chakras ou centros de força são os responsáveis por metabolizar a energia do Prána necessária ao bom funcionamento dos sistemas orgânicos que eles comandam.

Eles têm a função de receber, absorver, transformar e distribuir a energia para todo o corpo. O prána está presente em todos os lugares no universo e em todos os lugares dentro do corpo, que é um microcosmo do universo. No nível mais fundamental, todas as várias energias são uma manifestação de uma Unidade de Consciência, mas a energia também aparece em formas distintas, cada qual com o seu próprio papel no plano universal.

Cada chakra é uma manifestação exclusiva de uma fonte infinita de vida. Dentro da fonte de vida, há um completo espectro de energias e um processo evolucionário, no qual o universo está vibrando nos níveis mais sutis. Os chakras são o veículo para esta jornada evolucionária em direção à consciência num nível individual. Eles podem ser vistos como transformadores, conduzindo a energia para cima, para formas sempre mais sutis.

Esses sete centros psicoespirituais estão distribuídos ao longo da coluna vertebral, desde sua base até o topo da cabeça. Devido a sua forma circular e espiralada ao redor da coluna, sua representação é a de uma serpente que jaz adormecida no muladhara chakra, que se inicia na base da coluna, esperando o momento de ser despertada para iniciar sua escalada rumo ao topo da cabeça. Por esse motivo, ela é chamada de Kundalini, a “enrolada”.

Os chakras também servem como metáforas para diferentes níveis de desenvolvimento humano.

Os setes principais chakras situam-se junto às glândulas endócrinas. Cinco ao longo da espinha dorsal: chakra básico Muladhara, nas supra-renais, genésico, Swadhisthana, nas gônadas, plexo solar, Manipura, no pâncreas, cardíaco, Anáhata, no timo e laríngeo, Vishuddha, na tiróide. E dois que se situam no cérebro: chakra frontal, Ajña, na glândula pituitária (hipófise) e chakra coronário, Sahasrara, na glândula pineal.

 

Como se apresentam os chakras?

Os chakras são vórtices de captação de energia, que giram em alta velocidade, em espiral, cujas pontas estão ligadas à corrente de força principal, o nadí sushumná. Cada chakra se apresenta em duplicata, ou seja, na frente e nas costas. Nós não entraremos em maiores detalhes sobre isso, entretanto é importante saber que o chakra básico, Muladhara é justamente a contraparte do chakra coronário, Sahasrara, ou seja, são opostos, mas extremamente ligados.

Sobre o funcionamento dos chakras:

Os chakras absorvem a Energia Prânica que é metabolizada e direcionada aos nadís, que os direciona ao sistema nervoso e ao sistema endócrino e finalmente ao sangue. Existe um estreito relacionamento entre a absorção de Prána por um determinado chakra e o funcionamento dos órgãos que ele governa, ou seja, o chakra se apresentará parcial ou totalmente fechado quando esses mesmos órgãos apresentarem problemas.

Existem algumas correntes no sistema de chakras, uma delas é descendente, ela é chamada de caminho de manifestação, pela condensação e formas etéreas, isto é, tomamos algo abstrato e o trazemos para o concreto. O caminho inverso, energia ascendente, que parte da base e segue para o alto é chamado de caminho da libertação. Ao longo desse trajeto, o que está preso à forma gradualmente se liberta para abarcar uma dimensão e uma abstração maiores. Assim nós queimamos madeira para produzir fogo e calor, e a luz do fogo subsiste em nossas mentes. A energia armazenada na matéria é liberada.

O equilíbrio dessas duas correntes é o foco principal do trabalho em chakraterapia.

Se houver bloqueio na corrente descendente, poderá trazer como consequência uma concentração deficiente, problemas de saúde, dificuldades econômicas e perda de contato com a impressão que causamos aos outros. Um caminho de liberação, energia ascendente desenvolvida deficientemente acarreta a sensação de estar preso à rotina, de tédio, tirania, depressão, incapacidade de sair do chão e falta de vitalidade.

Há uma terceira e uma quarta correntes, criadas pela combinação das duas primeiras. São as correntes de recepção e de expressão que se manifestam ao longo dos próprios chakras enquanto eles agem reciprocamente com o mundo exterior. Você pode imaginar o tubo tendo buraquinhos como uma flauta. Os buraquinhos que são fechados ou abertos determinam o som como um todo que a flauta. De modo semelhante, os chakras abertos criam o sentido do eu geral que apresentamos ao mundo. O que está bloqueado não recebe nem expressa. Para emitir sons diferentes, precisamos controlar conscientemente a abertura e o fechamento de cada chakra.

 

O que são os nadís?

Os chakras são conectados entre si pelos nervos yóguicos os nadís, que conduzem e regulam o prána. São três os nadís principais: sushumná, nervo yóguico ou corrente psíquica situado no centro da coluna vertebral. Idá, nervos yóguicos situados no lado esquerdo e pingalá, lado direito da coluna vertebral, ladeando o sushumná nadí.

Importante: Ao se concentrar em um chakra você estará ajudando a ativar os demais, pois os chakras são interligados.  Os sábios yogues recomendam um dos três chakras superiores para se concentrar:

Anáhata, coração, para quem tiver maior tendência de devoção a Deus e amor ao próximo.
Ajña, o espaço entre as sobrancelhas, para adquirir maiores capacidades mentais, visualização e eventualmente desenvolver a terceira visão.
– Sahasrara, alto da cabeça, para quem almeja maior desenvolvimento espiritual.

Estes chakras permitem maior evolução do homem ao transmutar os instintos básicos em qualidades espirituais.

 

Chakras que auxiliam na transmissão de energia:

São: Sahasrara, para recepção da Energia Cósmica; Ajña para projeção mental de energia; Muladhara para recepção das energias telúricas; os chakras das mãos para captar e transmitir energia e chakra dos pés que agem como fio terra.

 

Os Chakras e as Emoções – O que bloqueia um chakra?

Quando sentimos uma emoção, essa emoção é acompanhada não somente por um efeito físico e um pensamento mental, mas também por um sentimento. O que sentimos? Sentimos o movimento da energia vital que acompanha a emoção. Mas em que lugar do corpo sentimos as emoções. Em que lugar do corpo sentimos o sentimento que compõem as emoções? Tudo depende da emoção e de quem você é.

Se você é intelectual, é provável que só sentirá a energia vital  no alto da cabeça.

Quando usamos o intelecto, é para esse centro sahasrara que se dirige a energia.

Amor, lembranças apaixonantes, aventuras românticas, centro do coração, anáhata.

Desejo sexual exagerado, violência, insegurança desequilibram os dois primeiros centros. Por outro lado, se você pensa e sente que está bem, em segurança, com os desejos equilibrados, dizemos que estes centros estão sendo energizados adequadamente e a intenção é manter-se assim.

Sob medo, irritação, melancolia, sentimos a energia saindo do plexo, sentimos acidez estomacal, azia… Tudo correspondente ao sistema digestivo que é regido pelo fluxo energético no centro solar.

Com segurança e sentimento de liberdade ao se expressar, favorecemos a garganta, glândula tireoide, bem-estar e prazer acompanham o processo. Em meditação, concentrando a mente na respiração ou em outro objeto de observação, ativamos o ajña chakra e sentimos um calor ou vibração da energia nesta área e a partir daí temos vislumbres intuitivos.

Quando estabilizamos as emoções, sentimos energeticamente maior vitalidade e estabilizamos todos os sistemas, que trabalham de maneira integrada.

O tantra dedica-se a transformação criativa através do movimento condicionado de todo o Prana. Os movimentos condicionados do Prana nos chakras, somados aos movimentos condicionados da mente que chamamos de hábito, compreendem o nosso ego-caráter. Esse caráter é uma persona, uma persona quase que totalmente orientada para si; ela é uma máscara que oculta o nosso verdadeiro Self – o Self verdadeiro.

Por exemplo: quando transformamos criativamente a energia do chakra da raiz, a insegurança se transforma em confiança e o medo se transforma em coragem. No chakra swadhisthana, o mau uso da energia sexual, no qual acompanham sentimentos destrutivos de possessividade, egoísmo, apego, desrespeito, pode se transformar em respeito autêntico por si mesmo e pelos outros. No plexo, o orgulho, baixa autoestima tem o potencial de se transformar em dignidade e valorização de si, despertar das virtudes. No centro ajña, a confusão mental pode se transformar em compreensão intuitiva; e no centro da coroa satisfação se transforma em felicidade permanente (ánanda). A energia não sofre mais depleção.

Quando essa transcendência se dá no nível energético, o movimento condicionado é redirecionado através de um novo canal e isso representa a abertura dos chakras e a experiência da totalidade.

Para a medicina dos chakras, é necessário perceber que existe essa movimentação anormal do prana e é preciso corrigir essa movimentação em cada centro.

Por exemplo, um estimulo de medo, provoca uma vasão de energia vital do muladhara chakra, e assim haverá um excesso de secreção da glândula adrenal, que em casos extremos ou repetitivos pode causar a síndrome de fadiga crônica.

Em resumo, podemos dizer que os chakras são locais em nosso corpo físico onde sentimos energia vital localizada quando experimentamos um sentimento. E por isso, devemos desenvolver maior percepção para tratarmos adequadamente cada centro.

Te convido a iniciar agora uma jornada de autoconhecimento explorando cada nível energético e descobrindo o potencial de cada um deles.

Os Sete Chakras e suas Características

 

1º Chakra Muladhara – Segurança, estabilidade

2º Chakra Swadhisthana – Desenvolvimento sexual e emocional, relações afetivas

3º Chakra Manipura – Socialização e interação social, transformação pessoal

4º Chakra Anáhata – Amor incondicional

5º Chakra Vishuddha – Comunicação e interação inspiradas por uma visão mais elevada, intuição, criatividade

6º Chakra Ajña- Experiência transcendental e compreensão, eu interior

7º Chakra Sahasrara – Clara percepção da realidade além da dualidade.

 

Muladhara

Significado: base de suporte

Localização: Localizado na base da espinha, local conhecido como períneo, entre ânus e sexo. Este chakra anima a substância do corpo físico, o poder e o instinto de sobrevivência. É a ligação com a terra.

Cor: Vermelho brilhante.

Elemento: Terra.

Yantra (símbolo): Um quadrado vermelho cercado com 4 pétalas de lótus.

Bija Mantra: Lam. É o Responsável pela absorção de energia da terra (energia telúrica, geoenergia, kundaliní). 

 Sentido: Olfato

Aromaterapia: cedro, vetiver, sândalo.

Glândula endócrina: adrenal ou supra-renais

Função do corpo vital: eliminação, apana, manutenção chamada catabolismo realizado pelos rins, a bexiga e o intestino grosso (reto e ânus)

Áreas corporais: rins, supra-renais, coluna vertebral, pés, pernas, ossos, intestino grosso.

Este centro concentra as energias da Kundaliní, que uma vez despertadas progridem coluna acima, seguindo um padrão geométrico similar ao padrão apresentado na dupla hélice das moléculas de DNA que contém o código da vida.

Desequilíbrio no Físico: Anemias, resfriados, sexualidade reprimida ou excessiva, frigidez, impotência, insuficiência renal, fadiga crônica, dores nas articulações, dores lombares e nas pernas, pressão alta ou baixa, problemas de coluna, osteoporose, falta de energia, prisão de ventre, diarreia, colite, apendicite, constipação, hemorroidas, etc.

Emocional desequilibrado: Egocentrismo, agressividade, preocupação, inexatidão, indolência, extravagância, não permite o prazer, pessoa sem vida, desanimada, confusão de interesses, insatisfação, medo, timidez, insegurança, histeria, paixões fortes, aspereza, dificuldade em lidar com finanças, medo de arriscar-se, apego material, tabus sexuais.

 

Emocional equilibrado: Impulso para agir, consciência instintiva básica, força, agressividade controlada, coragem, afeição, criatividade, generosidade, capacidade de sentir prazer, pessoa sensata, segura e estável, habilidade em prover o necessário para vida e capacidade de cuidar de si.

 

Indicações: pés, pernas, base da coluna, cólon, rins, sistema nervoso simpático, stress, obesidade, problemas nos joelhos, anorexia nervosa, hemorróidas, constipação, dor ciática, fobia e ansiedade, medo relacionado à sobrevivência, abandono e escassez de consciência.

Visualização

 Energia subindo e descendo pela sushumna Nadi, canal central, encaixe, segurança, estabilidade, sobrevivência, fundação, conexão com o centro da terra, sincronização da sua respiração com o pulsar da terra, liberdade do medo da morte, direito de estar aqui e encontrar as suas necessidades básicas de sobrevivência.

 

Afirmações de cura

Fazer a primeira em voz alta, a segunda em voz baixa, a terceira sussurrando e depois repeti-la mentalmente.

“Eu estou sempre seguro(a), protegido e enraizado no centro do meu ser.

“Eu sou calmo(a), minha circulação flui livremente, pensamentos de coragem e confiança espalham o seu perfume em mim”

“Eu confio no meu potencial interno de cura e transformação”

 

Swadhisthana

Significado: Morada interior.

Localização: quatro dedos abaixo do umbigo. Região pélvica.

Cor: Laranja.

Elemento: Água.

Yantra: Um círculo laranja com uma lua crescente prateada na base desse círculo cercado por 6 pétalas.

Bija Mantra: Vam – Energia de criatividade e impulso emocional; é o centro da procriação, manifesta-se sexualmente, mas sob o aspecto de sensação e prazer; fantasias e desejos sexuais. É representado por uma lua crescente. Neste chakra inicia-se a expansão da personalidade. Centro da purificação.

Sentido: paladar

Aromaterapia: Sálvia e tomilho

Glândula endócrina: Reprodutiva (ovários, testículos, gônadas)

Função do corpo vital: reprodução.

Áreas Corporais: Útero, reprodução, bexiga, sistema circulatório.

Localizado na lombar e abaixo do umbigo, está relacionado com as gônadas, ovários e testículos, regendo a coluna vertebral, sacro e lombar. Rege os rins, sistema reprodutor, circulatório e bexiga. As energias como a paixão, sensualidade e a criatividade são manifestadas através deste chakra.

Desequilíbrio no Físico: desarmonia dos rins, fígado, pâncreas, vesícula e bexiga. Alergias alimentares, problemas menstruais, distúrbios gástricos e intestinais, perda da vitalidade, dores lombares, no sacro e cóccix.

Emocional Desequilibrado: Medo, incapacidade de construir, distração, raiva, ódio, inveja, insegurança, falta de paixão, tristeza, manipulação e apego, dependência emocional, vícios e autodestruição.

Emocional Equilibrado: União sexual prazerosa, alegria instintiva, capacidade de planejamento, coragem de viver, paixão, habilidade em relacionar-se, jogo de cintura, flexibilidade, auto-aceitação e paixão pela vida.

Indicações: Impotência, males do sistema reprodutor feminino, vaginismo (rigidez do músculo vaginal), frigidez, rigidez lombar, distúrbios uterinos, císticos ou renais e próstata.

Visualização

 Energia lunar, oceano, pureza, o reflexo da lua cheia na água, prazer, sensualidade, mudança, emoções, intimidade, abraçar a sexualidade mais do que gratificar ou negar. Viver afinado com os sentimentos de modo a ser livre para explorar o seu potencial mais alto. Aceitar as expressões do ser humano.

 

Afirmações de cura

“Eu fluo com o ritmo da vida e estou totalmente aberto (a) para a bondade ao meu redor”

“A fluidez das águas permeia todo o meu ser”

“Alegro-me pela maneira como conduzo a minha vida, libero-me da armadura de velhos padrões e me permito ser mais flexível”

 

Manipura

Significado: Cidade de jóias.

Localização: Plexo Solar, quatro dedos acima do umbigo.

Cor: Sol amarelo dourado.

Elemento: Fogo.

Yantra: Um círculo amarelo com um triângulo vermelho com a ponta para baixo, sugerindo o movimento descendente de energia, cercado pelo lótus de 10 pétalas.

Mantra: Ram o principal ponto de concentração durante a produção deste som é o umbigo. Traz longevidade. Responsável pela irrigação energética do sistema digestivo. Desenvolvido, facilita a percepção de energias ambientais.

Sentido: visão

Aromaterapia: lavanda, alecrim e canela

Glândula Endócrina: Pâncreas

Função do corpo vital: manutenção chamada anabolismo, assimilação e distribuição de nutrientes pelo estômago, intestino delgado, o fígado, a vesícula biliar e o pâncreas.

Áreas Corporais: Sistema digestivo, músculos, estômago, fígado, vesícula, baço, sistema nervoso.

Escolhas do que você quer. Individualidade e poder pessoal (como você se vê), sua identidade no mundo.

 

Desequilíbrio no Físico: Má digestão, diabetes, toxinas, úlceras e hérnias, gastrites e problemas de assimilação dos alimentos. Hipocondria, síndrome de intestino irritável, câncer no intestino e anorexia ou bulimia.

Emocional Desequilibrado: Ansiedade, egoísmo, vaidade, ciúme, preconceitos, ira, timidez, intransigências, abuso de poder, impaciência, preocupação. Não sabe dizer não. Desconfiança, arrogância e baixa auto-estima. Raiva, irritabilidade, fascinação, ódio, medo, crueldade, inveja, apego cego, melancolia, letargia e ânsia de poder são alguns dos desequilíbrios ligados a este chakra.

Emocional Equilibrado: Impulso para vivenciar as emoções, colocar-se expressando suas próprias qualidades, vontade de liderar, amor a vida, aptidão para experimentá-lo com plenitude, propósitos definidos de ações, intuição, ternura e boa vontade. Auto-estima, confiança e alegria.

Indicações: Raiva, pressão baixa, falta de energia, problemas digestivos, diabetes, perda de poder, vergonha, falta de coragem e confiança, sistema imunológico, úlceras, hipoglicemia.

Visualização

 Encontrar o ponto de encontro de prana vayu, energia que se move para cima e apana vayu, energia que se move para baixo, estar no mundo, comando e organização, riscos, medo, subida de energia, poder, fogo, metabolismo, raiva, propósito interior, controle da vida para prover os seus desejos, exploração do seu total potencial humano. O controle de resultados impede a integração deste chakra e, consequentemente, o crescimento. Converter o poder do ego no poder necessário para a transformação. Consciência incorporada na vida diária através de um poder dirigido.

 

Afirmações de cura

“Eu alinho minhas energias pessoais e encontro meu lugar no mundo”

“Eu possuo energia abundante para a minha transformação interior”

“Confio em minha voz interior, conduzo a minha vida com doçura, sabedoria e vontade”

 

Anáhata

Significado: Intocável, sino que toca sozinho, som místico.

Localização: Situa-se na região do tórax e está conectado com a glândula timo, responsável pelo funcionamento do sistema imunológico. É o chakra do coração, centro energético do amor.
A elevação das energias do chakra do plexo solar até o coração acontece em indivíduos que estão desenvolvendo a capacidade de pensar e atuar em termos de coletividade. As doenças do coração, sistema circulatório e sangue podem ser tratados através deste chakra.

Cor: Verde esmeralda. Podemos intencionar também a luz rosa.

Rosa – amor incondicional / verde é dilatador de veias, artérias e músculos, usado para pressão alta, cateterismo. É relaxante do sistema nervoso, principalmente simpático e muscular, auxiliando nos casos de esgotamento, irritação e insônia; regula a pressão arterial, o sistema circulatório e estimula a glândula pituitária, normalizando a função das demais glândulas. Auxilia nos casos de febre, quando não se sabe a causa da infecção. Cria espaço no coração como o frescor da primavera, fazendo sentir-se renovado.

Elemento: Ar.

Yantra: Um círculo verde cercado pelo lótus de 12 pétalas dentro do qual está uma estrela de seis pontas (hexagrama).

Bija Mantra: Yam – a concentração deverá estar centralizada no coração, desfazendo qualquer bloqueio na região cardíaca, proporcionando controle sobre a respiração. Responsável pela irrigação energética do coração. É um canal de movimentação dos sentimentos.

Sentido: tato.

Aromaterapia: rosa, jasmim.

Glândula endócrina: Timo

Áreas Corporais: Pulmões, coração, braços, mãos e circulação.

Desequilíbrio no Físico: Doenças cardíacas, distúrbios de pressão, problemas pulmonares e bronquites. Sistema imunológico ineficiente e dor de cabeça.

Emocional Desequilibrado: Amor condicional, ciúme, depressão, angústia, desprezo, raiva e medo, apego, incapacidade de amar e se emocionar. Coração fechado, depressão, arrogância, vaidade extrema, desespero, egoísmo, avareza, hipocrisia, tendência à discussão, ansiedade e desgosto são alguns dos desequilíbrios.

Emocional Equilibrado: Amor pela humanidade, autodistinção entre o Eu e o não-eu, verdadeira compreensão da compaixão e benevolência, aceitação, bondade, disponibilidade para o perdão, ajuda ao próximo, sabedoria, conscientização do outro, assentamento na estrutura terrena, dá consistência e vitalidade as aspirações amorosas, pacificação, fé na vida e nas pessoas. Desenvolvido, cria um canal de amor que pode ser utilizado para o trabalho assistencial, desenvolve a compaixão.

Indicações: Asma, doenças pulmonares, câncer, problemas cardíacos, pressão arterial alta, depressão, stress, co-dependência, desconfiança, dificuldade para perdoar e aceitar pessoas e situações.

Visualização

Amor condicional e incondicional, abertura, compaixão, tristeza, dor, pena, dar/receber, paz, harmonia, confiança, abertura, liberdade, fraternidade, perdão, auto-perdão, devoção.

 

Afirmações de cura

“Eu expando as fronteiras do meu coração para aceitar a mim mesmo, os outros e o mundo como eles são.”

“Eu abraço todas as condições da vida e me torno progressivamente um todo.”

“Eu me abro para o universo. Esta abertura é minha grande proteção. O que quer que eu dê aos outros dou a mim mesmo.”

 

Vishuddha

 

Significado: Purificação.

Localização: Localizado sobre a garganta, se comunica com a glândula tireóide. Está ligado à inspiração, a comunicação e a expressão com o mundo.

Cor: Azul Celeste. Atua como tranqüilizante na aura. É calmante do sistema nervoso.

Elemento: Espaço/ Éter

Yantra: Um círculo azul celeste com um triângulo de ponta para baixo, cristal, circundado por 16 pétalas.

Mantra: Ham que representa o som do corpo. Este som puro, afeta o ouvinte, alterando os espaços de sua mente e de seu ser. Responsável pela irrigação energética da boca, garganta e órgãos respiratórios. Serve de bloqueio para que as energias emocionais não cheguem ao chakras frontal e coronário.

Sentido: Audição

Aromaterapia: hortelã, capim limão, frankincense

Glândula Endócrina: Tireóide e paratireóide.

Áreas Corporais: Brônquica e Vocal, cordas vocais, canal alimentar, pescoço, cervical, ombros, braços e mãos.

Desequilíbrio no Físico: Laringite, faringite, ronquidão, problemas de tireóide e paratireóide, doenças mentais, distúrbios da fala, gagueira e surdez.

Emocional Desequilibrado: Fobia, frustração, covardia, falta de criatividade, mentalidade e expressão tacanha, rude e pobreza de espírito, criticismo, preconceitos, atitudes extremamente racionais, pessoa que reclama o tempo todo ou lamentação, agressividade verbal e apego a crenças limitantes, tristeza, desrespeito, descontentamento, são alguns dos desequilíbrios ligados a esse chakra.

Emocional Equilibrado: Sensibilidade, criatividade artística, liberdade e autoconfiança para se expressar, dom da palavra e do conhecimento, clariaudiência, intelecto claro, independência, idealização, senso de planejamento, força de vontade, capacidade para tomar decisões.

Indicações: Dor de garganta, torcicolo, resfriados, desordens da fala, problemas da tireóide, problemas de audição, paratireóide, hipo ou hipertiroidismo, asma e outros problemas respiratórios, falta de concentração e criatividade.

Visualização

 Vibração, som, harmonia, conexão, comunicação, centro da intuição, resolução de conflito, centro da criatividade, expressão artística, conexão com a sabedoria universal, falar a sua verdade vinda de um conhecimento mais profundo. Comunicação clara de quem eu sou, ao invés do que eu tenho aprendido, auto-suficiência.

Afirmações de cura

“Eu estou totalmente purificado em minha verdade interna e pronto a reconhecer e compartilhar a minha vocação com os outros”

“Eu confio em meu eu interno e me expresso a partir dessa fonte de conhecimento, o fazer vem do Ser.”

“Eu vou além das antigas limitações e agora consigo expressar-me livre e criativamente”

 

Ajña

Significado: autoridade, controle, poder ilimitado.

Localização: Terceiro olho, ponto entre as sobrancelhas. Relaciona-se com a glândula pituitária.

Cor: Azul (Índigo).

Elemento: Luz, mahattatva, significando que todos os elementos vêm juntos nas suas essências puras. Presença de todos os cinco elementos, com três gunas que são manas (mente), buddhi (intelecto), Ahankara e chitta (o ato de ser – o ser).

Yantra: Círculo branco com duas pétalas luminescentes. As pétalas douradas.

Mantra: Om. É o responsável pela irrigação energética dos olhos. Desenvolvido, facilita a clarividência e a intuição. (às vezes palpita como um coração no intercílio).

Sentido: todos

Aromaterapia: Eucalipto, pinho.

Glândula Endócrina: Hipófise e pineal

Área do corpo: olhos

Desequilíbrio no Físico: Rinites, sinusites, problemas de ouvido, nos olhos, surdez, tontura, enxaqueca. Cansaço e confusão mental.

Emocional Desequilibrado: Desconcentração, confusão mental, dogmatismo, vê a vida com limitação, arrogância, medo, perda da fé e sedução, delírios, egoísmo, obsessão, teimosia e apego a crenças impostas pela sociedade. Intelectualismo excessivo, manipulação de pessoas, questionamento excessivo são alguns dos desequilíbrios.

Emocional Equilibrado: Percepção em relação ao universo que o cerca, evolução, entendimento do próprio caminho, percepção clara, intuição, fé e devoção, carisma, magnetismo, força, sabedoria, capacidade de concentrar-se e foco no objetivo.

Indicações

Cegueira, dor de cabeça, pesadelos, tensão ocular, visão turva, labirintite, cognição, intuição, meditação, humildade, espaço interior, falta de consciência da dimensão espiritual do ser.

 

Visualização

 Sonhos, visões internas, um espaço místico de infinita magnitude, conhecimento transcendental, habilidades psíquicas, testemunha interior do corpo, mente e emoções. A paz que vai além de toda a compreensão. Visão do nosso propósito de vida, enxergar através dos olhos de uma criança, encontro com sat-chit-ananda. Verdade, consciência e bem-aventurança.

 

Afirmações de cura

“Eu me entrego a cada oportunidade que a vida me dá de presente, para clarificar a minha visão e verdade interna”

“Eu sou verdade, consciência e bem-aventurança”

“Eu estou no centro de todas as experiências e vou além das impressões que pairam na periferia da minha mente”

 

Sahasrara

 

Significado: Mil pétalas.

Localização: Localizado no topo da cabeça. E o portal da espiritualidade, do reconhecimento de Deus/Deusa em nós e no outro.

Cor: Violeta.

Elemento: mente/consciência.

Yantra: Círculo com uma lua cheia com um guarda chuva de mil pétalas coloridas, ou somente violeta.

Mantra: Som sem som, silêncio (Mouna). Este chakra não possui Bija Mantra, pois ele transcende a palavra e a expressão. É o responsável pela irrigação energética do cérebro e pelo controle de todos os outros chakras. Desenvolvido facilita a telepatia, a mediunidade, expande a consciência. Não tem desequilíbrios.

Sentidos: Além dos sentidos

Aromaterapia: Limão, Laranja.

Glândula Endócrina: Pineal, a janela de Brahma.

Desequilíbrio Físico: Epilepsia, dislexia, mal de Alzheimer, nervoso e endócrino abalados, doenças do cérebro-mente, como depressão e esquizofrenia.

Emocional Desequilibrado: Desespero, confusão, perda de memória, ressentimento, falta de vontade, dúvida existencial.

Emocional Equilibrado: Sentimento de completude, equilíbrio mental, autoconhecimento, satisfação pela vida, contentamento.

Indicações: Epilepsia, crises nervosas, falta de equilíbrio, controle motor, depressão, desorientação, perda da vontade de viver.

 

Visualização

 Lótus de mil pétalas, transcendência completa, unidade de consciência, liberdade total, presença em todas as coisas, todo o momento é o princípio e o fim. A liberdade para funcionar em todos os centros sem apego, reprogramar padrões internos, Karma, liberação dos samskaras, condicionamentos e padrões de pensamento, transcendência, expansão, espaço interior, unidade, não dualidade.

 

Afirmações de cura

“Eu sou Consciência de Unidade sempre presente”

“So Ham” Mentalmente inspirar So e Expirar Ham, 20 respirações completas, contando a cada inspiração. Significa: “Eu sou Ele ou Eu sou Om”, é a afirmação que você é a imagem e semelhança do Criador, reafirma a sua divindade.

“Om Shanti Shanti Shantih” Paz Paz paz

O primeiro shanti invoca a paz diante dos fenômenos da natureza, não se abalar com desastres naturais. Se desejar fugir, fuja para dentro de si, tudo passa, mas o Eu permanece. A Bhagavad Gita, escritura hindu, fala da imortalidade da alma e o yogue sabe que a alma é imortal.

O segundo shanti invoca a paz dentro dos relacionamentos. Desde o útero travamos uma relação, ela começa com a nossa mãe e em seguida com a família por laços consangüíneos e amigos ou familiares espirituais de laços kármicos bons ou ruins.

O Yoga nos lembra que estamos aqui reorganizando essa etapa da nossa trajetória evolutiva e todos aqueles que encontramos são nossos maiores mestres. São dados a nós oportunidades de resolução dentro desses reencontros. A cada momento, o novo se apresenta. Quando despertamos o amor universal incondicional que está em nós, acolhemos cada situação, ser com amor, entendemos que tudo é um aprendizado, aprendemos a perdoar a nós e aos outros, mesmo aqueles que ignoram esse amor.

 Somos irmãos, estamos todos ligados e precisamos mudar o nosso gradiente energético, emocional e físico para avançarmos e libertarmo-nos desses laços através de ações meritórias ou dhármicas. Precisamos realizar atividades que geram desapegos, além de práticas evolutivas e espirituais.

Nas relações devemos manter a equanimidade, uma visão imparcial, agir sem reagir. Uma discussão só acontece quando há dois, você tem o livre-arbítrio de agir com o ego revidando, ou com o ser maior, adorando-o e evitando que o calor da ira queime a reserva de amor e respeito existente em cada um.

O terceiro shanti invoca a bem-aventurança, a paz inabalável.

Um grau de consciência maior é necessário para se atingir esse estado de paz e alegria. Todos nós viemos para resgatar a nossa herança divina e viver em profunda paz e harmonia interior. Despertando essa dádiva da vida podemos transmiti-la até mesmo sem palavras, basta estamos presentes, como um sol, emanando essa luz, essa paz a todos os seres deste planeta maravilhoso!

O Ayurveda, a ciência milenar de saúde indiana, nos ensina que o nosso corpo físico e tudo que existe no universo é composto de 5 elementos básicos chamados de pancha-maha-bhuta em sânscrito. Cada um desses elementos representa qualidades fundamentais da natureza:

  • Terra (prithvi)– estabilidade/suporte
    • Água (jala) – fluidez/ suavidade
    • Fogo (tejas) – calor/ energia
    • Ar (vayu) – leveza/ movimento
    • Espaço (akasha) – abertura/ expansão

 

Cada pessoa possui proporções diferentes de cada um desses elementos ao nível do corpo e da mente. As três diferentes combinações que se seguem formam a base de nossa constituição ayurvédica, influenciam profundamente nossas vidas, tanto em relação à saúde, ao trabalho, aos relacionamentos, quanto em relação à nossa prática de Yoga.

  • Terra e água combinam-se para formar a constituição Kapha, que em equilíbrio é sólida, consistente e resistente. Em desequilíbrio, Kapha poderia tornar-se letárgico, congestionado e deprimido.
  • Fogo e água combinam-se para formar a constituição Pitta, que em equilíbrio é energética, dinâmica e inteligente. Em desequilíbrio, Pitta poderia tornar-se hiperaquecido, assim como criando um estado de excessivo perfeccionismo e crítica.
  • Ar e espaço combinam-se para formar a constituição Vata, que em equilíbrio é criativa, leve e espiritual. Em desequilíbrio, Vata poderia tornar-se confuso e com saúde irregular.

Na medida em que usamos nossa prática de Yoga para equilibrar os cinco elementos, podemos maximizar os benefícios da prática.

O processo de equilíbrio dos 5 elementos consiste em perceber quais elementos estão em excesso ou deficiência, para depois podermos equilibrá-los utilizando as ferramentas de Yoga.

 

Esclarecimentos sobre os doshas. Os Biotipos.

Cada pessoa possui os três doshas, mas predominam 1 ou 2 . Importante é não se definir como sendo vata, ou outro dosha. Quando um dosha se agrava é quando tratamos com alimentação, chás, terapias do ayurveda e estilo de vida para enfim harmonizar esse excesso.

Eu tenho o mental bem pitta, minha natureza mais predominante é vata, kapha, já tive pitta agravado devido ao estilo de vida, muitas responsabilidades, muitos compromissos, precisei tratar.

E foi ótimo com a Ayurveda.
Conheça um pouco mais sobre cada dosha.
Abaixo tem um teste para você verificar qual predomina.

Minha formação foi com o Dr Ruguê, excelente professor, me especializei no conhecimento da Ayurveda para o ensino do Yoga, associando esse conhecimento com a prática de ásanas e estilo de vida. Ofereço dicas aos alunos após o teste de toque, pulso e língua, teste a nível fisico e psicológico.

Vata: ao sabor do vento

Este dosha controla todo o movimento biológico, como a inspiração e a expiração, a circulação sanguínea, os impulsos nervosos, os batimentos cardíacos, a comida que entra e sai, o fluxo dos pensamentos. Vata é responsável por começar as coisas – por isso, quando em desequilíbrio, a pessoa deste dosha fala muito sem chegar a nenhuma conclusão, gasta dinheiro à toa, compra demais sem, no entanto, adquirir nada necessário.

A energia de vata controla o sistema nervoso e concentra-se na região do cólon (intestino grosso), pélvis, juntas sacro-ilíacas e lombar. Quando o dosha entra em desequilíbrio, esses são os primeiros órgãos a apresentar problemas.

Características físicas

São pessoas altas ou baixas, porém sempre magras, de estrutura corporal pequena e angulosa. Têm ombros e quadris estreitos.

Podem comer muito e não engordar. No entanto, seu peso pode flutuar durante a vida e, ao envelhecer, às vezes ganham alguns quilos. O apetite é irregular e podem ter fome a qualquer hora, bem como pular refeições.

As juntas são secas, barulhentas e protuberantes. Os dentes são pequenos e também protuberantes. Têm mãos e pés gelados e sentem muito frio. Em geral têm olhos pequenos e cabelos finos e encaracolados. A pele é seca.

Dormem pouco – normalmente seis horas são suficientes – e em horários diversos. De sono leve, acordam com qualquer barulho. São superativas, mas se cansam com facilidade, podendo chegar à exaustão. Isso gera sensação de fraqueza, sobretudo se têm dificuldade para dormir. Necessitam de muito repouso e se beneficiam com rotinas e hábitos regulares.

Características psicológicas

Tendem a ser alertas, com uma mente rápida e ativa. Aprendem novos conceitos e ideias num piscar de olhos, mas tendem a esquecer o que aprenderam com igual rapidez. Como o vento, pensam, falam, andam e movem-se depressa, geralmente sem parar. Gostam de movimento e de novidades. Mudam de ideia e de humor o tempo todo. Amam a liberdade.

 

Pitta: pode vir quente que ele está fervendo

Dinamismo e paixão caracterizam as pessoas de pitta. O dosha do fogo representa o metabolismo, sendo responsável por todas as transformações químicas que ocorrem no organismo. Pitta faz a digestão, traz luminosidade para o olhar, regula a temperatura e é fonte de energia.

Este dosha se concentra na região abdominal: intestino delgado, parte baixa do estômago e fígado. Quando o dosha entra em desequilíbrio, esses são os primeiros órgãos a sofrer.

Características físicas

Pessoas de estrutura e constituição corporal média. Mantêm o peso sem flutuações importantes.

A pele é clara ou avermelhada, muitas vezes com sardas e com tendência a manchar. Como a temperatura do corpo é alta, transpiram e ruborizam com facilidade. Também por isso são avessas ao calor e à exposição prolongada ao sol.

Têm olhos penetrantes, de tamanho médio. Cabelo fino e sedoso, normalmente loiro, castanho claro ou ruivo. A tendência é ficarem com os cabelos grisalhos precocemente, e, no caso dos homens, carecas.

Têm excelente digestão e grande apetite. Ficam irritadas se pulam ou atrasam uma refeição. O intestino também funciona com regularidade. Costumam acordar no meio da noite com fome, sede ou calor. Dormem profundamente, por curtos períodos de tempo. Têm forte impulso sexual.

Características psicológicas

É o dosha de maior inteligência e também raiva. O raciocínio é rápido, enquanto a mente tem poder de foco e organização. São pessoas ordeiras, enérgicas e competitivas, além de corajosas e independentes. Têm a fala articulada e precisa. Têm iniciativa e costumam dominar as situações. Costumam julgar os outros.

 

Kapha: devagar e sempre

Representa estabilidade e pé no chão. É o dosha responsável por nossa estrutura e sistema linfático. Também é kapha que dá suporte e nutre o sistema nervoso, lubrifica o trato digestivo, as articulações e o trato respiratório, regula água e gordura.

Sua energia se concentra na parte alta do estômago e nos pulmões e vias respiratórias – os primeiros órgãos a adoecer quando kapha entra em desequilíbrio.

Características físicas

As pessoas de kapha têm uma estrutura corporal sólida, ganham peso com facilidade e têm tendência à obesidade e muita dificuldade para emagrecer.

A pele clara é lustrosa, suave e sedosa, e apresenta certa palidez. Têm lábios carnudos, dentes brancos e fortes, bochechas fofas e olhos grandes, de cílios longos. Cabelos grossos, pretos e brilhantes.

De digestão lenta, podem sentir-se pesadas após comer. Não têm muito apetite e toleram bem pular refeições. A eliminação é regular. Precisam de um período maior de descanso e seu sono é pesado e profundo. Transpiram pouco e detestam tempo frio e úmido. Têm tendência a acúmulo de muco.

Características psicológicas

São lentas em todos os aspectos, como movimentos e raciocínio. Aprendem devagar, mas têm excelente memória. Amáveis, cheias de compaixão, conciliadoras e de bom senso, as pessoas de kapha costumam ser excelentes como amigos e pais.

O apego a gente e coisas, bem como ao passado, faz parte de sua natureza. Não se preocupam nem ficam bravas com facilidade. Emocionalmente estáveis, são agradáveis e carinhosas. Pensam muito antes de tomar qualquer decisão.

 

Marque um ponto para cada afirmação correta e veja qual é o dosha predominante em sua constituição.

Vata

1Ando, falo e ajo rapidamente

2 Aprendo coisas rapidamente

3 Esqueço coisas rapidamente

4 Sou espontâneo, animado e falante

5 Tendência a ser magro e a perder peso facilmente

6 Tendência a ter mãos e pés frios

7 Tendência à pele seca, principalmente no outono e inverno

8 Tendência a ficar emotivo, ansioso ou preocupado rapidamente

9 O frio é o clima de que menos gosto (frio, seco e com vento)

10 Normalmente tenho dificuldade em tomar decisões

11 Tendência a ter gases e constipação intestinal

12 Tendência a sono leve, agitado e demoro a dormir

Total de vata

 

Pitta

1 Tenho digestão forte, posso comer bastante tudo que quiser

2 Fico irritado ou desconfortável se pular ou atrasar uma refeição

3 Tendência a transpirar facilmente, axilas  ficam geralmente úmidas

4 Não gosto de calor, prefiro muito frio a muito calor

5 Fico impaciente ou bravo facilmente

6 Tendência à ordem, precisão e até perfeccionismo

7 Raramente ou nunca tenho intestino preso, pelo contrário, tendência a diarréia

8 Gosto de comidas e bebidas frias

9 Tenho o intelecto aguçado e falo com clareza e objetividade

10 Tendência à constituição física moderada

11 Posso ser cabeça-dura e teimoso

12 Tendência a cabelos finos ou leves, grisalhos ou queda prematura

Total de Pitta

 

Kapha

1 Consigo pular uma refeição sem muito desconforto

2 Não me altero facilmente, tenho uma mente pacífica

3 Meu caminhar é lento e estável, trabalho com ponderação e facilidade

4 Tendência a acúmulo de muco, congestão, sinusite, alergias ou asma

5 Tendência a ganhar peso e me tornar “rechonchudo”

6 Preciso de pelo menos 8 horas de sono por dia

7 Sem tendência a ficar bravo, impaciente ou irritado com facilidade

8 Tenho pele macia e suave

9 Pessoas me dizem que tenho a natureza doce

10 Não sou rápido, mas tenho boa resistência atlética

11 Não gosto de clima frio e úmido

12 Aprendo lentamente, mas  tenho uma memória excelente

Total de kapha

 

Dicas

*** Eu adoro esse livro
Ayurveda, a Ciência da Autocura, Dr. Vasant Lad –
https://bit.ly/livro_lad_ayurveda

Ayurveda – Saúde e Longevidade, por Dr. Danilo Maciel Carneiro – https://bit.ly/Livro_Danilo

A Medicina Ayur-Védica – https://bit.ly/A_Medicina_Ayurvedica  

A Tradição do Ayurveda, Aderson Moreira da Rocha – https://bit.ly/aderson_livro_tradicao…

 Se meu médico diz que estou bem … Por que me sinto tão mal. – https://bit.ly/se_me_sinto_tao_mal