Olá, esse é um estudo que fiz  sobre Chakras.

Chakras ou rodas (em sânscrito) são canais de captação da Energia Prânica que imanta nossos corpos. Os chakras ou centros de força são os responsáveis por metabolizar a energia do Prána necessária ao bom funcionamento dos sistemas orgânicos que eles comandam.

Eles têm a função de receber, absorver, transformar e distribuir a energia para todo o corpo. O prána está presente em todos os lugares no universo e em todos os lugares dentro do corpo, que é um microcosmo do universo. No nível mais fundamental, todas as várias energias são uma manifestação de uma Unidade de Consciência, mas a energia também aparece em formas distintas, cada qual com o seu próprio papel no plano universal.

Cada chakra é uma manifestação exclusiva de uma fonte infinita de vida. Dentro da fonte de vida, há um completo espectro de energias e um processo evolucionário, no qual o universo está vibrando nos níveis mais sutis. Os chakras são o veículo para esta jornada evolucionária em direção à consciência num nível individual. Eles podem ser vistos como transformadores, conduzindo a energia para cima, para formas sempre mais sutis.

Esses sete centros psicoespirituais estão distribuídos ao longo da coluna vertebral, desde sua base até o topo da cabeça. Devido a sua forma circular e espiralada ao redor da coluna, sua representação é a de uma serpente que jaz adormecida no muladhara chakra, que se inicia na base da coluna, esperando o momento de ser despertada para iniciar sua escalada rumo ao topo da cabeça. Por esse motivo, ela é chamada de Kundalini, a “enrolada”.

Os chakras também servem como metáforas para diferentes níveis de desenvolvimento humano.

Os setes principais chakras situam-se junto às glândulas endócrinas. Cinco ao longo da espinha dorsal: chakra básico Muladhara, nas supra-renais, genésico, Swadhisthana, nas gônadas, plexo solar, Manipura, no pâncreas, cardíaco, Anáhata, no timo e laríngeo, Vishuddha, na tiróide. E dois que se situam no cérebro: chakra frontal, Ajña, na glândula pituitária (hipófise) e chakra coronário, Sahasrara, na glândula pineal.

 

Como se apresentam os chakras?

Os chakras são vórtices de captação de energia, que giram em alta velocidade, em espiral, cujas pontas estão ligadas à corrente de força principal, o nadí sushumná. Cada chakra se apresenta em duplicata, ou seja, na frente e nas costas. Nós não entraremos em maiores detalhes sobre isso, entretanto é importante saber que o chakra básico, Muladhara é justamente a contraparte do chakra coronário, Sahasrara, ou seja, são opostos, mas extremamente ligados.

Sobre o funcionamento dos chakras:

Os chakras absorvem a Energia Prânica que é metabolizada e direcionada aos nadís, que os direciona ao sistema nervoso e ao sistema endócrino e finalmente ao sangue. Existe um estreito relacionamento entre a absorção de Prána por um determinado chakra e o funcionamento dos órgãos que ele governa, ou seja, o chakra se apresentará parcial ou totalmente fechado quando esses mesmos órgãos apresentarem problemas.

Existem algumas correntes no sistema de chakras, uma delas é descendente, ela é chamada de caminho de manifestação, pela condensação e formas etéreas, isto é, tomamos algo abstrato e o trazemos para o concreto. O caminho inverso, energia ascendente, que parte da base e segue para o alto é chamado de caminho da libertação. Ao longo desse trajeto, o que está preso à forma gradualmente se liberta para abarcar uma dimensão e uma abstração maiores. Assim nós queimamos madeira para produzir fogo e calor, e a luz do fogo subsiste em nossas mentes. A energia armazenada na matéria é liberada.

O equilíbrio dessas duas correntes é o foco principal do trabalho em chakraterapia.

Se houver bloqueio na corrente descendente, poderá trazer como consequência uma concentração deficiente, problemas de saúde, dificuldades econômicas e perda de contato com a impressão que causamos aos outros. Um caminho de liberação, energia ascendente desenvolvida deficientemente acarreta a sensação de estar preso à rotina, de tédio, tirania, depressão, incapacidade de sair do chão e falta de vitalidade.

Há uma terceira e uma quarta correntes, criadas pela combinação das duas primeiras. São as correntes de recepção e de expressão que se manifestam ao longo dos próprios chakras enquanto eles agem reciprocamente com o mundo exterior. Você pode imaginar o tubo tendo buraquinhos como uma flauta. Os buraquinhos que são fechados ou abertos determinam o som como um todo que a flauta. De modo semelhante, os chakras abertos criam o sentido do eu geral que apresentamos ao mundo. O que está bloqueado não recebe nem expressa. Para emitir sons diferentes, precisamos controlar conscientemente a abertura e o fechamento de cada chakra.

 

O que são os nadís?

Os chakras são conectados entre si pelos nervos yóguicos os nadís, que conduzem e regulam o prána. São três os nadís principais: sushumná, nervo yóguico ou corrente psíquica situado no centro da coluna vertebral. Idá, nervos yóguicos situados no lado esquerdo e pingalá, lado direito da coluna vertebral, ladeando o sushumná nadí.

Importante: Ao se concentrar em um chakra você estará ajudando a ativar os demais, pois os chakras são interligados.  Os sábios yogues recomendam um dos três chakras superiores para se concentrar:

Anáhata, coração, para quem tiver maior tendência de devoção a Deus e amor ao próximo.
Ajña, o espaço entre as sobrancelhas, para adquirir maiores capacidades mentais, visualização e eventualmente desenvolver a terceira visão.
– Sahasrara, alto da cabeça, para quem almeja maior desenvolvimento espiritual.

Estes chakras permitem maior evolução do homem ao transmutar os instintos básicos em qualidades espirituais.

 

Chakras que auxiliam na transmissão de energia:

São: Sahasrara, para recepção da Energia Cósmica; Ajña para projeção mental de energia; Muladhara para recepção das energias telúricas; os chakras das mãos para captar e transmitir energia e chakra dos pés que agem como fio terra.

 

Os Chakras e as Emoções – O que bloqueia um chakra?

Quando sentimos uma emoção, essa emoção é acompanhada não somente por um efeito físico e um pensamento mental, mas também por um sentimento. O que sentimos? Sentimos o movimento da energia vital que acompanha a emoção. Mas em que lugar do corpo sentimos as emoções. Em que lugar do corpo sentimos o sentimento que compõem as emoções? Tudo depende da emoção e de quem você é.

Se você é intelectual, é provável que só sentirá a energia vital  no alto da cabeça.

Quando usamos o intelecto, é para esse centro sahasrara que se dirige a energia.

Amor, lembranças apaixonantes, aventuras românticas, centro do coração, anáhata.

Desejo sexual exagerado, violência, insegurança desequilibram os dois primeiros centros. Por outro lado, se você pensa e sente que está bem, em segurança, com os desejos equilibrados, dizemos que estes centros estão sendo energizados adequadamente e a intenção é manter-se assim.

Sob medo, irritação, melancolia, sentimos a energia saindo do plexo, sentimos acidez estomacal, azia… Tudo correspondente ao sistema digestivo que é regido pelo fluxo energético no centro solar.

Com segurança e sentimento de liberdade ao se expressar, favorecemos a garganta, glândula tireoide, bem-estar e prazer acompanham o processo. Em meditação, concentrando a mente na respiração ou em outro objeto de observação, ativamos o ajña chakra e sentimos um calor ou vibração da energia nesta área e a partir daí temos vislumbres intuitivos.

Quando estabilizamos as emoções, sentimos energeticamente maior vitalidade e estabilizamos todos os sistemas, que trabalham de maneira integrada.

O tantra dedica-se a transformação criativa através do movimento condicionado de todo o Prana. Os movimentos condicionados do Prana nos chakras, somados aos movimentos condicionados da mente que chamamos de hábito, compreendem o nosso ego-caráter. Esse caráter é uma persona, uma persona quase que totalmente orientada para si; ela é uma máscara que oculta o nosso verdadeiro Self – o Self verdadeiro.

Por exemplo: quando transformamos criativamente a energia do chakra da raiz, a insegurança se transforma em confiança e o medo se transforma em coragem. No chakra swadhisthana, o mau uso da energia sexual, no qual acompanham sentimentos destrutivos de possessividade, egoísmo, apego, desrespeito, pode se transformar em respeito autêntico por si mesmo e pelos outros. No plexo, o orgulho, baixa autoestima tem o potencial de se transformar em dignidade e valorização de si, despertar das virtudes. No centro ajña, a confusão mental pode se transformar em compreensão intuitiva; e no centro da coroa satisfação se transforma em felicidade permanente (ánanda). A energia não sofre mais depleção.

Quando essa transcendência se dá no nível energético, o movimento condicionado é redirecionado através de um novo canal e isso representa a abertura dos chakras e a experiência da totalidade.

Para a medicina dos chakras, é necessário perceber que existe essa movimentação anormal do prana e é preciso corrigir essa movimentação em cada centro.

Por exemplo, um estimulo de medo, provoca uma vasão de energia vital do muladhara chakra, e assim haverá um excesso de secreção da glândula adrenal, que em casos extremos ou repetitivos pode causar a síndrome de fadiga crônica.

Em resumo, podemos dizer que os chakras são locais em nosso corpo físico onde sentimos energia vital localizada quando experimentamos um sentimento. E por isso, devemos desenvolver maior percepção para tratarmos adequadamente cada centro.

Te convido a iniciar agora uma jornada de autoconhecimento explorando cada nível energético e descobrindo o potencial de cada um deles.

Os Sete Chakras e suas Características

 

1º Chakra Muladhara – Segurança, estabilidade

2º Chakra Swadhisthana – Desenvolvimento sexual e emocional, relações afetivas

3º Chakra Manipura – Socialização e interação social, transformação pessoal

4º Chakra Anáhata – Amor incondicional

5º Chakra Vishuddha – Comunicação e interação inspiradas por uma visão mais elevada, intuição, criatividade

6º Chakra Ajña- Experiência transcendental e compreensão, eu interior

7º Chakra Sahasrara – Clara percepção da realidade além da dualidade.

 

Muladhara

Significado: base de suporte

Localização: Localizado na base da espinha, local conhecido como períneo, entre ânus e sexo. Este chakra anima a substância do corpo físico, o poder e o instinto de sobrevivência. É a ligação com a terra.

Cor: Vermelho brilhante.

Elemento: Terra.

Yantra (símbolo): Um quadrado vermelho cercado com 4 pétalas de lótus.

Bija Mantra: Lam. É o Responsável pela absorção de energia da terra (energia telúrica, geoenergia, kundaliní). 

 Sentido: Olfato

Aromaterapia: cedro, vetiver, sândalo.

Glândula endócrina: adrenal ou supra-renais

Função do corpo vital: eliminação, apana, manutenção chamada catabolismo realizado pelos rins, a bexiga e o intestino grosso (reto e ânus)

Áreas corporais: rins, supra-renais, coluna vertebral, pés, pernas, ossos, intestino grosso.

Este centro concentra as energias da Kundaliní, que uma vez despertadas progridem coluna acima, seguindo um padrão geométrico similar ao padrão apresentado na dupla hélice das moléculas de DNA que contém o código da vida.

Desequilíbrio no Físico: Anemias, resfriados, sexualidade reprimida ou excessiva, frigidez, impotência, insuficiência renal, fadiga crônica, dores nas articulações, dores lombares e nas pernas, pressão alta ou baixa, problemas de coluna, osteoporose, falta de energia, prisão de ventre, diarreia, colite, apendicite, constipação, hemorroidas, etc.

Emocional desequilibrado: Egocentrismo, agressividade, preocupação, inexatidão, indolência, extravagância, não permite o prazer, pessoa sem vida, desanimada, confusão de interesses, insatisfação, medo, timidez, insegurança, histeria, paixões fortes, aspereza, dificuldade em lidar com finanças, medo de arriscar-se, apego material, tabus sexuais.

 

Emocional equilibrado: Impulso para agir, consciência instintiva básica, força, agressividade controlada, coragem, afeição, criatividade, generosidade, capacidade de sentir prazer, pessoa sensata, segura e estável, habilidade em prover o necessário para vida e capacidade de cuidar de si.

 

Indicações: pés, pernas, base da coluna, cólon, rins, sistema nervoso simpático, stress, obesidade, problemas nos joelhos, anorexia nervosa, hemorróidas, constipação, dor ciática, fobia e ansiedade, medo relacionado à sobrevivência, abandono e escassez de consciência.

Visualização

 Energia subindo e descendo pela sushumna Nadi, canal central, encaixe, segurança, estabilidade, sobrevivência, fundação, conexão com o centro da terra, sincronização da sua respiração com o pulsar da terra, liberdade do medo da morte, direito de estar aqui e encontrar as suas necessidades básicas de sobrevivência.

 

Afirmações de cura

Fazer a primeira em voz alta, a segunda em voz baixa, a terceira sussurrando e depois repeti-la mentalmente.

“Eu estou sempre seguro(a), protegido e enraizado no centro do meu ser.

“Eu sou calmo(a), minha circulação flui livremente, pensamentos de coragem e confiança espalham o seu perfume em mim”

“Eu confio no meu potencial interno de cura e transformação”

 

Swadhisthana

Significado: Morada interior.

Localização: quatro dedos abaixo do umbigo. Região pélvica.

Cor: Laranja.

Elemento: Água.

Yantra: Um círculo laranja com uma lua crescente prateada na base desse círculo cercado por 6 pétalas.

Bija Mantra: Vam – Energia de criatividade e impulso emocional; é o centro da procriação, manifesta-se sexualmente, mas sob o aspecto de sensação e prazer; fantasias e desejos sexuais. É representado por uma lua crescente. Neste chakra inicia-se a expansão da personalidade. Centro da purificação.

Sentido: paladar

Aromaterapia: Sálvia e tomilho

Glândula endócrina: Reprodutiva (ovários, testículos, gônadas)

Função do corpo vital: reprodução.

Áreas Corporais: Útero, reprodução, bexiga, sistema circulatório.

Localizado na lombar e abaixo do umbigo, está relacionado com as gônadas, ovários e testículos, regendo a coluna vertebral, sacro e lombar. Rege os rins, sistema reprodutor, circulatório e bexiga. As energias como a paixão, sensualidade e a criatividade são manifestadas através deste chakra.

Desequilíbrio no Físico: desarmonia dos rins, fígado, pâncreas, vesícula e bexiga. Alergias alimentares, problemas menstruais, distúrbios gástricos e intestinais, perda da vitalidade, dores lombares, no sacro e cóccix.

Emocional Desequilibrado: Medo, incapacidade de construir, distração, raiva, ódio, inveja, insegurança, falta de paixão, tristeza, manipulação e apego, dependência emocional, vícios e autodestruição.

Emocional Equilibrado: União sexual prazerosa, alegria instintiva, capacidade de planejamento, coragem de viver, paixão, habilidade em relacionar-se, jogo de cintura, flexibilidade, auto-aceitação e paixão pela vida.

Indicações: Impotência, males do sistema reprodutor feminino, vaginismo (rigidez do músculo vaginal), frigidez, rigidez lombar, distúrbios uterinos, císticos ou renais e próstata.

Visualização

 Energia lunar, oceano, pureza, o reflexo da lua cheia na água, prazer, sensualidade, mudança, emoções, intimidade, abraçar a sexualidade mais do que gratificar ou negar. Viver afinado com os sentimentos de modo a ser livre para explorar o seu potencial mais alto. Aceitar as expressões do ser humano.

 

Afirmações de cura

“Eu fluo com o ritmo da vida e estou totalmente aberto (a) para a bondade ao meu redor”

“A fluidez das águas permeia todo o meu ser”

“Alegro-me pela maneira como conduzo a minha vida, libero-me da armadura de velhos padrões e me permito ser mais flexível”

 

Manipura

Significado: Cidade de jóias.

Localização: Plexo Solar, quatro dedos acima do umbigo.

Cor: Sol amarelo dourado.

Elemento: Fogo.

Yantra: Um círculo amarelo com um triângulo vermelho com a ponta para baixo, sugerindo o movimento descendente de energia, cercado pelo lótus de 10 pétalas.

Mantra: Ram o principal ponto de concentração durante a produção deste som é o umbigo. Traz longevidade. Responsável pela irrigação energética do sistema digestivo. Desenvolvido, facilita a percepção de energias ambientais.

Sentido: visão

Aromaterapia: lavanda, alecrim e canela

Glândula Endócrina: Pâncreas

Função do corpo vital: manutenção chamada anabolismo, assimilação e distribuição de nutrientes pelo estômago, intestino delgado, o fígado, a vesícula biliar e o pâncreas.

Áreas Corporais: Sistema digestivo, músculos, estômago, fígado, vesícula, baço, sistema nervoso.

Escolhas do que você quer. Individualidade e poder pessoal (como você se vê), sua identidade no mundo.

 

Desequilíbrio no Físico: Má digestão, diabetes, toxinas, úlceras e hérnias, gastrites e problemas de assimilação dos alimentos. Hipocondria, síndrome de intestino irritável, câncer no intestino e anorexia ou bulimia.

Emocional Desequilibrado: Ansiedade, egoísmo, vaidade, ciúme, preconceitos, ira, timidez, intransigências, abuso de poder, impaciência, preocupação. Não sabe dizer não. Desconfiança, arrogância e baixa auto-estima. Raiva, irritabilidade, fascinação, ódio, medo, crueldade, inveja, apego cego, melancolia, letargia e ânsia de poder são alguns dos desequilíbrios ligados a este chakra.

Emocional Equilibrado: Impulso para vivenciar as emoções, colocar-se expressando suas próprias qualidades, vontade de liderar, amor a vida, aptidão para experimentá-lo com plenitude, propósitos definidos de ações, intuição, ternura e boa vontade. Auto-estima, confiança e alegria.

Indicações: Raiva, pressão baixa, falta de energia, problemas digestivos, diabetes, perda de poder, vergonha, falta de coragem e confiança, sistema imunológico, úlceras, hipoglicemia.

Visualização

 Encontrar o ponto de encontro de prana vayu, energia que se move para cima e apana vayu, energia que se move para baixo, estar no mundo, comando e organização, riscos, medo, subida de energia, poder, fogo, metabolismo, raiva, propósito interior, controle da vida para prover os seus desejos, exploração do seu total potencial humano. O controle de resultados impede a integração deste chakra e, consequentemente, o crescimento. Converter o poder do ego no poder necessário para a transformação. Consciência incorporada na vida diária através de um poder dirigido.

 

Afirmações de cura

“Eu alinho minhas energias pessoais e encontro meu lugar no mundo”

“Eu possuo energia abundante para a minha transformação interior”

“Confio em minha voz interior, conduzo a minha vida com doçura, sabedoria e vontade”

 

Anáhata

Significado: Intocável, sino que toca sozinho, som místico.

Localização: Situa-se na região do tórax e está conectado com a glândula timo, responsável pelo funcionamento do sistema imunológico. É o chakra do coração, centro energético do amor.
A elevação das energias do chakra do plexo solar até o coração acontece em indivíduos que estão desenvolvendo a capacidade de pensar e atuar em termos de coletividade. As doenças do coração, sistema circulatório e sangue podem ser tratados através deste chakra.

Cor: Verde esmeralda. Podemos intencionar também a luz rosa.

Rosa – amor incondicional / verde é dilatador de veias, artérias e músculos, usado para pressão alta, cateterismo. É relaxante do sistema nervoso, principalmente simpático e muscular, auxiliando nos casos de esgotamento, irritação e insônia; regula a pressão arterial, o sistema circulatório e estimula a glândula pituitária, normalizando a função das demais glândulas. Auxilia nos casos de febre, quando não se sabe a causa da infecção. Cria espaço no coração como o frescor da primavera, fazendo sentir-se renovado.

Elemento: Ar.

Yantra: Um círculo verde cercado pelo lótus de 12 pétalas dentro do qual está uma estrela de seis pontas (hexagrama).

Bija Mantra: Yam – a concentração deverá estar centralizada no coração, desfazendo qualquer bloqueio na região cardíaca, proporcionando controle sobre a respiração. Responsável pela irrigação energética do coração. É um canal de movimentação dos sentimentos.

Sentido: tato.

Aromaterapia: rosa, jasmim.

Glândula endócrina: Timo

Áreas Corporais: Pulmões, coração, braços, mãos e circulação.

Desequilíbrio no Físico: Doenças cardíacas, distúrbios de pressão, problemas pulmonares e bronquites. Sistema imunológico ineficiente e dor de cabeça.

Emocional Desequilibrado: Amor condicional, ciúme, depressão, angústia, desprezo, raiva e medo, apego, incapacidade de amar e se emocionar. Coração fechado, depressão, arrogância, vaidade extrema, desespero, egoísmo, avareza, hipocrisia, tendência à discussão, ansiedade e desgosto são alguns dos desequilíbrios.

Emocional Equilibrado: Amor pela humanidade, autodistinção entre o Eu e o não-eu, verdadeira compreensão da compaixão e benevolência, aceitação, bondade, disponibilidade para o perdão, ajuda ao próximo, sabedoria, conscientização do outro, assentamento na estrutura terrena, dá consistência e vitalidade as aspirações amorosas, pacificação, fé na vida e nas pessoas. Desenvolvido, cria um canal de amor que pode ser utilizado para o trabalho assistencial, desenvolve a compaixão.

Indicações: Asma, doenças pulmonares, câncer, problemas cardíacos, pressão arterial alta, depressão, stress, co-dependência, desconfiança, dificuldade para perdoar e aceitar pessoas e situações.

Visualização

Amor condicional e incondicional, abertura, compaixão, tristeza, dor, pena, dar/receber, paz, harmonia, confiança, abertura, liberdade, fraternidade, perdão, auto-perdão, devoção.

 

Afirmações de cura

“Eu expando as fronteiras do meu coração para aceitar a mim mesmo, os outros e o mundo como eles são.”

“Eu abraço todas as condições da vida e me torno progressivamente um todo.”

“Eu me abro para o universo. Esta abertura é minha grande proteção. O que quer que eu dê aos outros dou a mim mesmo.”

 

Vishuddha

 

Significado: Purificação.

Localização: Localizado sobre a garganta, se comunica com a glândula tireóide. Está ligado à inspiração, a comunicação e a expressão com o mundo.

Cor: Azul Celeste. Atua como tranqüilizante na aura. É calmante do sistema nervoso.

Elemento: Espaço/ Éter

Yantra: Um círculo azul celeste com um triângulo de ponta para baixo, cristal, circundado por 16 pétalas.

Mantra: Ham que representa o som do corpo. Este som puro, afeta o ouvinte, alterando os espaços de sua mente e de seu ser. Responsável pela irrigação energética da boca, garganta e órgãos respiratórios. Serve de bloqueio para que as energias emocionais não cheguem ao chakras frontal e coronário.

Sentido: Audição

Aromaterapia: hortelã, capim limão, frankincense

Glândula Endócrina: Tireóide e paratireóide.

Áreas Corporais: Brônquica e Vocal, cordas vocais, canal alimentar, pescoço, cervical, ombros, braços e mãos.

Desequilíbrio no Físico: Laringite, faringite, ronquidão, problemas de tireóide e paratireóide, doenças mentais, distúrbios da fala, gagueira e surdez.

Emocional Desequilibrado: Fobia, frustração, covardia, falta de criatividade, mentalidade e expressão tacanha, rude e pobreza de espírito, criticismo, preconceitos, atitudes extremamente racionais, pessoa que reclama o tempo todo ou lamentação, agressividade verbal e apego a crenças limitantes, tristeza, desrespeito, descontentamento, são alguns dos desequilíbrios ligados a esse chakra.

Emocional Equilibrado: Sensibilidade, criatividade artística, liberdade e autoconfiança para se expressar, dom da palavra e do conhecimento, clariaudiência, intelecto claro, independência, idealização, senso de planejamento, força de vontade, capacidade para tomar decisões.

Indicações: Dor de garganta, torcicolo, resfriados, desordens da fala, problemas da tireóide, problemas de audição, paratireóide, hipo ou hipertiroidismo, asma e outros problemas respiratórios, falta de concentração e criatividade.

Visualização

 Vibração, som, harmonia, conexão, comunicação, centro da intuição, resolução de conflito, centro da criatividade, expressão artística, conexão com a sabedoria universal, falar a sua verdade vinda de um conhecimento mais profundo. Comunicação clara de quem eu sou, ao invés do que eu tenho aprendido, auto-suficiência.

Afirmações de cura

“Eu estou totalmente purificado em minha verdade interna e pronto a reconhecer e compartilhar a minha vocação com os outros”

“Eu confio em meu eu interno e me expresso a partir dessa fonte de conhecimento, o fazer vem do Ser.”

“Eu vou além das antigas limitações e agora consigo expressar-me livre e criativamente”

 

Ajña

Significado: autoridade, controle, poder ilimitado.

Localização: Terceiro olho, ponto entre as sobrancelhas. Relaciona-se com a glândula pituitária.

Cor: Azul (Índigo).

Elemento: Luz, mahattatva, significando que todos os elementos vêm juntos nas suas essências puras. Presença de todos os cinco elementos, com três gunas que são manas (mente), buddhi (intelecto), Ahankara e chitta (o ato de ser – o ser).

Yantra: Círculo branco com duas pétalas luminescentes. As pétalas douradas.

Mantra: Om. É o responsável pela irrigação energética dos olhos. Desenvolvido, facilita a clarividência e a intuição. (às vezes palpita como um coração no intercílio).

Sentido: todos

Aromaterapia: Eucalipto, pinho.

Glândula Endócrina: Hipófise e pineal

Área do corpo: olhos

Desequilíbrio no Físico: Rinites, sinusites, problemas de ouvido, nos olhos, surdez, tontura, enxaqueca. Cansaço e confusão mental.

Emocional Desequilibrado: Desconcentração, confusão mental, dogmatismo, vê a vida com limitação, arrogância, medo, perda da fé e sedução, delírios, egoísmo, obsessão, teimosia e apego a crenças impostas pela sociedade. Intelectualismo excessivo, manipulação de pessoas, questionamento excessivo são alguns dos desequilíbrios.

Emocional Equilibrado: Percepção em relação ao universo que o cerca, evolução, entendimento do próprio caminho, percepção clara, intuição, fé e devoção, carisma, magnetismo, força, sabedoria, capacidade de concentrar-se e foco no objetivo.

Indicações

Cegueira, dor de cabeça, pesadelos, tensão ocular, visão turva, labirintite, cognição, intuição, meditação, humildade, espaço interior, falta de consciência da dimensão espiritual do ser.

 

Visualização

 Sonhos, visões internas, um espaço místico de infinita magnitude, conhecimento transcendental, habilidades psíquicas, testemunha interior do corpo, mente e emoções. A paz que vai além de toda a compreensão. Visão do nosso propósito de vida, enxergar através dos olhos de uma criança, encontro com sat-chit-ananda. Verdade, consciência e bem-aventurança.

 

Afirmações de cura

“Eu me entrego a cada oportunidade que a vida me dá de presente, para clarificar a minha visão e verdade interna”

“Eu sou verdade, consciência e bem-aventurança”

“Eu estou no centro de todas as experiências e vou além das impressões que pairam na periferia da minha mente”

 

Sahasrara

 

Significado: Mil pétalas.

Localização: Localizado no topo da cabeça. E o portal da espiritualidade, do reconhecimento de Deus/Deusa em nós e no outro.

Cor: Violeta.

Elemento: mente/consciência.

Yantra: Círculo com uma lua cheia com um guarda chuva de mil pétalas coloridas, ou somente violeta.

Mantra: Som sem som, silêncio (Mouna). Este chakra não possui Bija Mantra, pois ele transcende a palavra e a expressão. É o responsável pela irrigação energética do cérebro e pelo controle de todos os outros chakras. Desenvolvido facilita a telepatia, a mediunidade, expande a consciência. Não tem desequilíbrios.

Sentidos: Além dos sentidos

Aromaterapia: Limão, Laranja.

Glândula Endócrina: Pineal, a janela de Brahma.

Desequilíbrio Físico: Epilepsia, dislexia, mal de Alzheimer, nervoso e endócrino abalados, doenças do cérebro-mente, como depressão e esquizofrenia.

Emocional Desequilibrado: Desespero, confusão, perda de memória, ressentimento, falta de vontade, dúvida existencial.

Emocional Equilibrado: Sentimento de completude, equilíbrio mental, autoconhecimento, satisfação pela vida, contentamento.

Indicações: Epilepsia, crises nervosas, falta de equilíbrio, controle motor, depressão, desorientação, perda da vontade de viver.

 

Visualização

 Lótus de mil pétalas, transcendência completa, unidade de consciência, liberdade total, presença em todas as coisas, todo o momento é o princípio e o fim. A liberdade para funcionar em todos os centros sem apego, reprogramar padrões internos, Karma, liberação dos samskaras, condicionamentos e padrões de pensamento, transcendência, expansão, espaço interior, unidade, não dualidade.

 

Afirmações de cura

“Eu sou Consciência de Unidade sempre presente”

“So Ham” Mentalmente inspirar So e Expirar Ham, 20 respirações completas, contando a cada inspiração. Significa: “Eu sou Ele ou Eu sou Om”, é a afirmação que você é a imagem e semelhança do Criador, reafirma a sua divindade.

“Om Shanti Shanti Shantih” Paz Paz paz

O primeiro shanti invoca a paz diante dos fenômenos da natureza, não se abalar com desastres naturais. Se desejar fugir, fuja para dentro de si, tudo passa, mas o Eu permanece. A Bhagavad Gita, escritura hindu, fala da imortalidade da alma e o yogue sabe que a alma é imortal.

O segundo shanti invoca a paz dentro dos relacionamentos. Desde o útero travamos uma relação, ela começa com a nossa mãe e em seguida com a família por laços consangüíneos e amigos ou familiares espirituais de laços kármicos bons ou ruins.

O Yoga nos lembra que estamos aqui reorganizando essa etapa da nossa trajetória evolutiva e todos aqueles que encontramos são nossos maiores mestres. São dados a nós oportunidades de resolução dentro desses reencontros. A cada momento, o novo se apresenta. Quando despertamos o amor universal incondicional que está em nós, acolhemos cada situação, ser com amor, entendemos que tudo é um aprendizado, aprendemos a perdoar a nós e aos outros, mesmo aqueles que ignoram esse amor.

 Somos irmãos, estamos todos ligados e precisamos mudar o nosso gradiente energético, emocional e físico para avançarmos e libertarmo-nos desses laços através de ações meritórias ou dhármicas. Precisamos realizar atividades que geram desapegos, além de práticas evolutivas e espirituais.

Nas relações devemos manter a equanimidade, uma visão imparcial, agir sem reagir. Uma discussão só acontece quando há dois, você tem o livre-arbítrio de agir com o ego revidando, ou com o ser maior, adorando-o e evitando que o calor da ira queime a reserva de amor e respeito existente em cada um.

O terceiro shanti invoca a bem-aventurança, a paz inabalável.

Um grau de consciência maior é necessário para se atingir esse estado de paz e alegria. Todos nós viemos para resgatar a nossa herança divina e viver em profunda paz e harmonia interior. Despertando essa dádiva da vida podemos transmiti-la até mesmo sem palavras, basta estamos presentes, como um sol, emanando essa luz, essa paz a todos os seres deste planeta maravilhoso!