Integrando o feminino
Inicio essas linhas parabenizando as mulheres do grupo onde me incluo, estendendo esse carinho ao feminino que habita cada homem querido que estiver lendo essa mensagem.
Há uns anos recebi um chamado de olhar mais profundamente para essa energia ancoradora e curativa que se derramou em Gaya, para acolher e fazer ressurgir o amor e acolhimento desse aspecto sagrado da Divina Mãe presente em todos nós.
Vemos que as nossas vidas estão sendo transformadas a cada alento e tudo se apresenta com um ritmo acelerado. Todos estivemos cansados em alguns momentos, chegando a desacreditar na cura, em maior consciência e amor àqueles que ainda dormem. Mas foram momentos apenas, nos altos e baixos do pensamento linear dessa realidade.
Agora que estamos alavancando as estruturas cristalinas de nosso ser puro, podemos celebrar os milhares de estímulos oriundos de nossa ancestralidade e auxiliar com toda a gratidão conferida a nós, os mensageiros do amor nessa Terra, e em honra a eles poderemos desfazer essa onda de recorrentes lutas pelo poder, massacres aos inocentes e abusos de qualquer natureza.
Estive num lugar onde fiz parte do círculo de sacerdotisas e fui a 12°. Para me incluir ao círculo fui chamada por Abhayada,( quer dizer, destemida. Esse é o meu Deksha, nome espiritual oferecido diretamente a mim pela Mataji, Amritanandamayi ,Amma, em 2008 num encontro direto com ela.) Depois veio a força feminina,representando a 13° portanto 13 pilares. Essa força foi derramada em cada uma das 12 mulheres ali convocadas, que puderam ir ao centro do círculo recebê-la. Eu não tenho como descrever esse momento, só posso dizer que foi único e potente. Aconteceu no plano espiritual, numa outra dimensão. Por projeção astral onde fui conduzida por uma vestal e guardiã. Depois disso me dediquei ainda mais aos estudos e ao trabalho de contribuir com essa força sagrada, espalhando energias nutridoras e curativas através de encontros reservados, retiros com amigas amadas, com o Vida de Deusa e com informações unificadoras e conscientes.
Sou uma estudante e não possuo nenhuma peculiaridade que possa transpor qualquer irmão ou irmã encarnados. Estamos juntos nesse estudo tão precioso! Eu aprendo e me percebo numa roda linda de mãos dadas com todos dessa Terra. Eu visualizo assim, em unidade. Esse é o propósito do feminino em nós. Não separar, unir, nutrir e despertar.
Na antiguidade, as deusas gregas representaram virtudes que carregamos em nosso registro. Todos, homens e mulheres somos tocados profundamente se observarmos esses arquétipos. Despertamos algo antigo e belo ao ver, ou fazer uma arte, por exemplo. No relacionamento com a mãe, com todo o feminino expressado,essas virtudes nos tocam intimamente.
O poder de criar e prosperar, o poder de elevar a energia sexual ao nível mais puro de unidade com o Todo, o poder de gestar e criar seus filhos, o poder de dar ao homem a sua força para seguir seus projetos e obter mais sucesso, o poder de ir aos ambientes mais sombrios de seu íntimo e curar as suas feridas…
Eu tenho revisitado cenas de ancestrais indígenas sendo condenadas a morte, sofrendo horrores e eu tenho feito um trabalho para desfragmentar e em honra a todas elas, liberar essa energia de dor e repressão que esteve presente até hoje, em minha memória celular.
De Janeiro de 2021 para cá vem sendo ainda mais intenso. Isso tem ligação com a mudança dimensional na qual estamos ultrapassando. Aleluia!!!
Um exercício diário de liberação de dores acumuladas:
Olhando de frente para tudo isso, ao mesmo tempo, olhando para a sua dor mais profunda, sendo homem, sendo mulher, acolha e autorize ela existir, é o primeiro movimento para a sua liberação. Eu lhe vejo dor, você pode ficar… ame e veja o que a força feminina presente em você poderá fazer.
Para evitar a dor, expulsamos, ou escolhemos mudar o foco, escondendo e postergando um momento de cura sagrada com o feminino.
O ato de excluir traz alguma compensação no futuro, talvez até maior.
Se escute, se acolha, se nutra de boas vibrações e quando encontrar dores e maldades nesse orbe, receba e veja com o seu coração, sua porção feminina.
O masculino é tão rico quanto o feminino.
Ambos estamos dançando com essas forças sagradas e precisamos usar essas habilidades para a nossa comunhão!
Um homem que incorpora o feminino escuta sua mulher. A mulher que incorpora o masculino, tendo incorporado bem o feminino também pode mudar a estrutura patriarcal e pesada que os homens trouxeram em honra aos seus antepassados, que em sua encarnação aqui, de forma inconsciente sentem-se estranhos diante de algumas situações, por estarem engajados com essas energias e ao mesmo tempo, tomados por uma vontade imensa de ressignificar tudo isso.
As mulheres que incorporaram o feminino e lidam com o masculino delas NÃO estão reativas ao masculino, elas vão pelo caminho mais puro, nenhum egoísmo para forjar uma ruptura, apenas um olhar profundo aos que vieram antes desse homem e que desejam ser amados e acolhidos. Ela sabe levar o homem ao lugar puro de origem. No colo da Divina Mãe.
Todos os movimentos de luta contra os homens parece ser um massacre as nossas antepassadas aos olhos de quem observa com o feminino sagrado.
O masculino presente nessas mulheres é maior que o seu feminino.
A energia de ir para a vida, lutar por algo, é masculina. Ela faz parte de nossos movimentos de sobrevivência, mas quando temos energia masculina com masculina, o que acontece? Leões disputando um espaço!
Se cada um incorporar feminino e masculino, homens e mulheres teriam a liberdade e o espaço para criar e manter suas vidas em harmonia.
Entretanto, o que podemos ver na sociedade é luta por poder, por espaço. Há muito o que refletir sobre isso.
Mulheres reflitam. Homens reflitam, nós possuímos essas duas forças gloriosas e podemos ver além dessas guerras culturais que ainda pulsam.
Existe um elixir que podemos tomar para curar todas as feridas do patriarcado e matriarcado.
Esse elixir é o Amor da Mãe que nutre cada um de nós, que nutre a nossa mãe, avós e demais antepassados.
Nutrição e acolhimento por você e por todos os nossos irmãos de almas e fractais de alma presentes nessa Terra. Planeta que é escola para amar as diferenças e as dificuldades.
Vamos celebrar a oportunidade de estarmos aqui em honra a todos , fazer a diferença utilizando o poder oculto da unidade na diversidade presentes em nós e ofertado pelos nossos avatares.
Sananda ainda ancora essa energia em nós. Vamos recebendo e firmando cada um seu voto de alma.
Um lindo dia em comunhão com o feminino liberando com amor os registros akáshicos relativos aos bloqueios dos egos.
Jay Ma!
Katia Erbiste