“A mente é como um rádio mental, a frequência sobre a qual estamos sintonizados revela a qualidade das ondas sonoras do pensamento, da palavra e da ação. Emitimos essas ondas energia, e as espalhamos pelo éter, atraindo para nós uma frequência relativa. Estamos num continuo movimento de elevação e queda de frequências porque quase sempre nos mantemos como personagens da novelinha de nossas vidas.

A mente manas, organizadora e condicionada, nos mantém numa frequência AM, enquanto que a mente discriminativa, buddhi nos conecta com a consciência, e nos coloca na frequência FM, canal através do qual podemos sintonizar com a inteligência divina, a maior frequência disponível aqui e agora.

Os sentidos sensoriais abrem as portas para uma investigação minuciosa das impressões interiores, e quando voltamos às antenas dos sentidos para dentro, expandimos a percepção e desenvolvemos sakshi, a consciência de testemunha capaz de identificar o pensamento em sua raiz e discriminar em qual frequência permanecer. A frequência AM está ligada ao EGO, Ahamkara, já a frequência FM está ligada a ALMA ou Atma.

Você pode escolher qual será a frequência que comandará a sua nave corpórea através das antenas dos sentidos sensoriais e qual será a qualidade do combustível de observação dessas impressões trazidas para dentro do seu aparelho mental.

Torne-se o espectador da novela da sua vida, não seja o diretor, pois ele pode acabar gostando de controlar e  fortalecer o ego. Coloque-se como espectador, como se essa novela não fosse sua, e você apenas a assistisse, sem qualquer vínculo, qualquer identificação mental. A mente, distorce, e amplia o problema, através dos filtros.

No Yoga dizemos que precisamos escolher se queremos ser Kami ou Yogues de fato.

O Kami está na frequência AM, ele quer fazer tudo com interesses pessoais. O ego está no comando, ele sempre pergunta:

“O que vou ganhar com isso? Como posso fazer isso do meu jeito? Tenho que mudar isso ou aquilo do meu jeito.” Repare quando você não oferece o que o outro, interessado em manter o controle dos resultados, deseja receber de você. Como ele age.

Os Yogues estão na frequência FM. Eles aproveitam todas as experiências inteligíveis para saber sobre si e sobre o eterno, e através do autoconhecimento, transmitem com gratidão, o melhor aos seus companheiros, eles não estão interessados em ganhar algo, tirar algo, somente procuram ser melhor para os outros, melhorando a si mesmo e entregando os frutos de todas as ações à soberania de Deus.”

                                                 Kátia Erbiste, Yoga e Espiritualidade